Pode parecer um pouco sensacionalista, mas o título deste artigo representa a realidade na vida de muitos profissionais. Sejam eles britânicos, americanos ou para nós mesmos, brasileiros.

Esses resultados foram divulgados recentemente pelo site de notícias Bloomberg e fazem parte de um estudo da consultoria Robert Half no Reino Unido.

O levantamento contou com a participação de 2.000 profissionais de empresas britânicas com faixa etária entre 18 e +55 anos.

Infelicidade no trabalho, uma realidade entre os trintões brasileiros

Assim como no caso da pesquisa britânica, estudos realizados no Brasil também constataram preocupantes índices de infelicidade no trabalho entre os profissionais brasileiros.

Falta autoconhecimento e planejamento e sobra frustração. Essas foram as principais constatações do Projeto 30, desenvolvido pela Pesquiseria e coordenado pela Giacometti Comunicação.

Segundo o estudo, para 44% dos trintões das classes A e B sobra o sentimento de “não ter chegado onde queriam”; na classe C essa percepção atinge 43%.

O Projeto 30 foi conduzido com pesquisas quantitativas e qualitativas. Na qualitativa, uma abordagem de 24 grupos de discussão formados por homens e mulheres de 30 anos, residentes no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Porto Alegre; na abordagem quantitativa foram entrevistados mil jovens das mesmas praças.

Insatisfação leva ao caminho tóxico

A falta de autoconhecimento, como bem apontou o Projeto 30, surge como um dos principais responsáveis para guiar uma pessoa rumo ao caminho tóxico profissional.

“O caminho tóxico, em nossa visão, é quando os comportamentos das pessoas são negligenciados. À medida em que uma pessoa não se conhece, ele acaba fazendo escolhas que a hostilizam, fazem mal, a inibem e a enfraquecem. Consequentemente, ele tende à evasão e à falta de compromisso”, analisa Jorge Matos, Presidente da ETALENT.

Segundo Matos, existem 5 passos fundamentais para um profissional cair nas armadilhas do caminho tóxico. São eles:

  • Passo 1: escolhe a formação ao acaso
  • Passo 2: obtém conhecimentos sem os comportamentos e as habilidades necessárias
  • Passo 3: consegue um cargo
  • Passo 4: procura adequar o comportamento aos conhecimentos
  • Passo 5: exerce a função com sacrifício e produz toxinas no organismo

Passos do Caminho Tóxico

O caminho da Ecologia Humana

Independente da idade, buscar a mudança é o caminho para quem deseja alcançar a realização na vida pessoal e profissional e se distanciar a cada dia do caminho tóxico. É o que chamamos na ETALENT de caminho da Ecologia Humana.

“Ao escolher esse caminho, a pessoa passa a priorizar o comportamento e o autoconhecimento é estimulado. O caminho da Ecologia Humana acolhe, faz bem, fortalece e estimula. Ao percorrer sua trajetória o profissional passa a ter adesão, interesse, entusiasmo e compromisso”, destaca Jorge Matos.

Passos do Caminho da Alta Performance

Dicas para mudar de carreira

Assim, ao iniciar o seu processo de transformação, nada melhor do que buscar o desenvolvimento de um plano de carreira. Recente pesquisa realizada pela ETALENT, com o apoio do site de recrutamento Catho, constatou que 55% das pessoas que afirmaram possuir um plano de carreira se sentiam felizes ou muito felizes com suas vidas profissionais.

Ou seja, é possível afirmar que a insatisfação profissional tem conexão direta com a existência ou não de um planejamento de carreira.

“Planejar-se para conquistar um objetivo é um ótimo combustível para a motivação que precisamos em prol de alcançá-lo”, afirma Jorge Matos.

Matos ressalta ainda que o planejamento de carreira traz não só benefícios como a satisfação no trabalho, mas sim toda uma forma de enxergar, de forma positiva e estimulante, o seu caminho profissional.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário:

Como encontrar o melhor candidato para sua vaga | Ebook Grátis