Não importa se a empresa é familiar ou uma corporação, há uma grande importância de se formar sucessores para manter a cultura e a produtividade. Infelizmente, o assunto não é abordado como se deveria no ambiente de trabalho.

Não por coincidência, são muitas as empresas que fecham entre as transições geracionais. Segundo o SEBRAE, mais de 70% dos negócios não resistem à segunda geração. O motivo é que os sucessores não têm o interesse, os conhecimentos, os comportamentos e/ou habilidades necessárias.

Pensando nisso, criamos um artigo especialmente para você. Nele, vai entender a real importância de se formar sucessores e como isso pode ser posto em prática. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

A sucessão para solidez e longevidade do negócio

Dá continuidade à cultura e aos valores

Uma empresa não é apenas uma “máquina de gerar dinheiro”, mas, um ambiente que conecta pessoas e permite que sonhos se realizem. Também é um ambiente onde uma cultura singular é criada, permitindo que os profissionais criem hábitos únicos.

O problema é que muito do DNA inicial da firma é perdido quando um dos fundadores ou líderes deixa o negócio, fazendo com que ela perca um pouco da sua característica inicial.

O professor e pesquisador William Joyce, no livro “O que (realmente) funciona”, acompanhou mais de 160 organizações para avaliar o que as mais bem-sucedidas tinham em comum. Uma das características mais notadas foi a cultura organizacional.

Formar sucessores significa, antes de qualquer outra coisa, garantir que a cultura prevalecerá em longo prazo. Os sucessores abraçam os mesmos valores que seus mentores e garantem que o DNA original da firma prossiga, gerando resultados favoráveis ao empreendimento.

Evita “apertos” na substituição

Encontrar verdadeiros talentos não é fácil em nenhum lugar do mundo. Uma pesquisa aponta que o Brasil está entre os cinco piores países para contratar mão de obra qualificada, especialmente para cargos em nível executivo ou técnico.

Aí está outro grande benefício de se preparar sucessores. Na hora em que alguém precisar ser substituído, seja por uma transferência ou troca de carreira, não é preciso passar pelo “aperto” de treinar um substituto em apenas um mês ou poucas semanas.

O sucessor está preparado – em nível de conhecimentos, comportamentos e habilidades – para assumir a nova função, além de ter toda a motivação necessária para isso. Por causa disso, é preciso começar a preparar o sucessor muito antes da saída de qualquer profissional.

Mostra que é possível crescer

Iniciar a formação de sucessores é uma forma de mostrar para os talentos que entram na empresa que é possível crescer e atingir cargos de liderança no futuro. Essa visão é fundamental para reter e motivar os profissionais em médio e longo prazo.

A realidade é que muitos colaboradores deixam a empresa porque não têm perspectiva de crescimento. Segundo relatório da Catho, que contou com mais de 26 mil entrevistados, a maioria dos profissionais que pedem demissão é por insatisfação com a atual função – se isso for somado à falta de perspectiva, a rotatividade é certa.

Nesse sentido, a formação de sucessores também é um fator motivacional, que contribui para engajar aqueles que estão sendo preparados e os talentos que estão entrando na empresa – permitindo-os sonhar em crescer e alcançar postos elevados de trabalho.

Todos os pontos citados são apenas alguns dos benefícios de preparar sucessores. A realidade é que essa prática contribui para manter a cultura, garantir que profissionais qualificados assumam funções estratégicas e inspirar aqueles que estão entrando na empresa.

A sucessão como fonte de inovação e crescimento

É impossível não considerar o ânimo dos sucessores por melhorar as práticas das suas respectivas funções, implementando melhorias e trazendo inovações para o empreendimento. Isso, obviamente, reflete na otimização da performance da empresa.

Diferentemente do que muitos podem acreditar, essas transformações não implicam na mudança da cultura organizacional, apenas na sua revitalização. Tudo está mudando rapidamente e é preciso que a empresa, por meio dos seus talentos, acompanhe essas mudanças.

Quando um sucessor assume sua nova função, logo busca por novidades que podem ser implementadas para melhorar as práticas já executadas. Muitos, na realidade, já têm melhorias planejadas e estão apenas esperando o momento certo para implementá-las.

Desse modo, é possível afirmar que a sucessão é uma fonte de inovação que pode – e deve – ser muito bem aproveitada pelos profissionais de RH. Por causa disso, é crucial começar a preparar os profissionais para assumir novos cargos. A questão é: como fazer isso?

Os primeiros passos para a sucessão na empresa

Invista em programas de Assessment

Antes de qualquer coisa, é preciso escolher o sucessor certo. Não adiante investir em uma série de programas de treinamento e desenvolvimento se o profissional não tem aderência ao cargo ou interesse em desempenhá-lo no futuro.

Para realizar essa análise, é importante usar um bom programa de Assessment. Consiste, na realidade, no diagnóstico das principais competências (conhecimentos, habilidades, atitudes e comportamentos) de um indivíduo. Nesse momento, uma grande aliada é a metodologia DISC, que avalia o perfil comportamental dos talentos e permite alocar as pessoas certas nos lugares certos.

Comece o treinamento antes que haja “sinais”

Outro ponto muito importante é começar os treinamentos de sucessão muito antes que, de fato, haja essa necessidade. Não deve-se esperar que alguém dê sinal de que vai sair da empresa para só depois encontrar e desenvolver um substituto – isso é um grande equívoco.

Engaje a liderança nesse assunto

É crucial que a liderança da empresa sinta-se engajada para desenvolver seus sucessores, afinal, sem o empenho deles é quase impossível que isso aconteça. Os líderes desempenharão papel de mentor, isto é, treinar seus “pupilos” para que sejam melhores do que eles mesmos.

Para tanto, os líderes devem entender que o plano de sucessão faz parte da cultura da empresa e que eles mesmos podem ser beneficiados e alocados para cargos ainda mais elevados. Dessa maneira, é possível assegurar que todos fiquem comprometidos com o assunto.

Como se pode ver, há inúmeros benefícios em desenvolver sucessores dentro da empresa. Além de contribuir para longevidade do negócio, é útil para motivar os talentos, evitar “apertos” no processo de substituição e implementação de inovação na companhia.

Se você gostou do conteúdo e entende a importância de se formar sucessores, aproveite para entrar em contato e descobrir como podemos te ajudar com o assunto. Vamos lá!

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário:

Como encontrar o melhor candidato para sua vaga | Ebook Grátis