Por Vanessa Goulart, do Studio Goulart

Desde os primórdios, o homem busca abrigo, proteção e bem-estar para cuidar de si e dos seus. E, assim, há milhares de anos, o homem vem interferindo no meio em que vive. É aquela frase que alguns devem conhecer: “antes, isso aqui era tudo mato!”. E seguimos modificando o ambiente em que vivemos… Nesse sentido, como arquiteta e urbanista, tenho por profissão dar sentido a essa interferência, da melhor maneira possível!

Tomando como exemplo uma dimensão maior como o traçado das cidades em que vivemos, suas construções e todos os elementos que a compõem, podemos parar e refletir um pouco sobre como os estímulos que vêm dela nos afetam, as sensações que nos provocam… É possível que, ao entrar em uma rua escura, com uma iluminação fraca, você tenha uma sensação de insegurança. Do mesmo modo, estar em ambientes desordenados, com construções e elementos excessivos, em um lugar desconhecido, pode nos exigir maior concentração e foco para lidar com o meio.

O contrário também é verdadeiro: um espaço mais ordenado e bem iluminado tende a trazer uma sensação de maior segurança e bem-estar. Sabendo disso, podemos interferir no meio à nossa volta com vários objetivos. A história mostra como o espaço pode ser projetado para interferir no comportamento humano (para o bem ou o mal). Partindo das cidades para as construções em si, cada vez mais profissionais têm projetado e programado os ambientes para favorecer e facilitar objetivos (vamos nos concentrar nos positivos!), sejam eles para promover a maior interação humana, criatividade, produtividade ou bem-estar.

O propósito da arquitetura em nossas vidas

Acredito que o propósito da arquitetura seja harmonizar a relação espaço/homem. Nesse sentido, dois conceitos são fundamentais – relação e harmonia.

A relação começa no autoconhecimento. Como você se relaciona com você mesmo, o quanto você conhece o seu potencial, características e desejos afeta diretamente a maneira como se relaciona e interfere no ambiente à sua volta… Nesse caso, não só o ambiente físico, mas, também, as relações interpessoais e as atividades que realiza.

O conceito de harmonia surge dessa relação junto ao conceito de “ecologia”, ou seja, “o estudo da casa” ou das relações estabelecidas entre os seres vivos e destes com o meio ambiente em que vivem. Aqui também trabalhamos com o conceito da Ecologia Humana, que considera a primeira casa do indivíduo como sendo o seu próprio corpo. 

O ambiente versus Ecologia Humana

O conceito da Ecologia Humana é muito amplo e engloba muitos fatores relativos ao nosso bem-estar. Tendo em vista a amplitude desse conceito, se pudéssemos sintetizar o seu significado com objetivo didático, poderíamos afirmar que, na prática:

A Ecologia Humana, quando bem aproveitada, implica o aproveitamento dos talentos e competências, compostas de comportamentos, conhecimentos e habilidades aplicadas de acordo com a natureza do indivíduo e o ambiente em que está inserido.

De acordo com a Ecologia Humana, quando estamos fazendo aquilo que é natural para nosso “eu”, estamos trilhando a linha verde. De forma contrária, quando estamos exercendo funções que não são compatíveis com nosso perfil comportamental, estamos seguindo a linha vermelha. Esse conceito também pode ser aplicado quando tratamos dos ambientes em que estamos inseridos, criando um alerta em relação ao nosso relacionamento com o ambiente e como isso pode afetar nossa saúde mental e física.

Desta maneira, fica mais claro o porquê de nos sentirmos melhor em ambientes que se conectam com nosso “eu” interior. Essa relação com determinados ambientes é positiva, quando serve como mola propulsora desse indivíduo frente a seu trabalho/lar. De forma análoga acontece quando a capacidade vital e energia são sugados frente seus desafios diários.

Isso significa que a qualidade do relacionamento do ser humano com o ambiente afeta diretamente sua relação com o trabalho e sua capacidade de produzir resultados. É como se o próprio indivíduo estivesse em conflito entre seu ambiente externo e interno. Seres são parte do ambiente com o qual se relacionam, seja no âmbito pessoal ou corporativo. 

O ambiente versus comportamento

Portanto, a partir desses dois conceitos apresentados, podemos interagir melhor com o meio que nos cerca. Neste ano de 2020, a necessidade de isolamento social, em função da pandemia do Covid-19, nos fez ficar em casa por um tempo que não imaginávamos.

Isso nos trouxe uma nova problemática sobre a divisão do trabalho e do ambiente físico, porém disfarçado de uma oportunidade única de expandirmos nossa visão e conceitos em relação à performance de nossas equipes, de nós mesmos e com o ambiente. Questões como:

    • Qual foi o impacto dessa mudança de ambiente nos hábitos e produtividade das pessoas?
    • Qual foi o impacto dessa mudança no bem-estar do indivíduo e de sua família?

As respostas a essas questões estão sendo estudadas e ainda não se tem uma conclusão definitiva. Mas é possível afirmar que os impactos ocorreram de forma positiva ou negativa, a depender do estilo comportamental de cada um.

O que a ETALENT verificou após os primeiros meses de trabalho remoto é que alguns colaboradores ficaram mais felizes e produtivos. São tipicamente as pessoas mais voltadas para cumprimento de tarefas e o seguimento de rotinas, características de pessoas com alta estabilidade e conformidade. Outras estão mais tristes e menos produtivas – naturalmente aqui estão as pessoas mais ativas e focadas nos relacionamentos pessoais, características das pessoas mais dominantes e influentes.

Recomendamos:
  Mindfulness, flow e comportamento: atenção plena para produtividade e bem-estar

Se considerarmos que os ambientes pessoal e profissional foram unidos em um único pilar durante o isolamento social, não é difícil entender a necessidade de tornar esse relacionamento o mais positivo possível.

Desta forma, resgatando um pouco o nosso conceito de Ecologia Humana, a ETALENT estimula o percurso da vida na trilha verde, caminho que as pessoas percorrem realizando aquilo que as acolhe, faz bem e fortalece. A mesma premissa devemos utilizar para a relação com o ambiente. Afastemo-nos da trilha vermelha, aquela das pessoas que realizam atividades inadequadas ao seu perfil, o que as hostiliza, enfraquece e faz mal, podendo, sobretudo, inibir motivações e talentos.

Como manter a produtividade no trabalho remoto?

    1. Corrigindo fatores que afetam negativamente nossa produtividade;
    2. Criando ambientes físicos que estejam alinhados com nossa Ecologia Humana;
    3. Estabelecendo rotinas.

Parece ser uma tarefa bem simples, mas a verdade é que cada indivíduo é único e está sendo afetado de maneira diferente pelo trabalho remoto. Pensando nisso, a ETALENT desenvolveu o novo Relatório Comportamental em Trabalho Remoto, que traz informações importantíssimas sobre a forma como cada colaborador (com seu perfil de comportamento específico) tende a performar ao trabalhar remotamente.

Arquitetura sustentável e planejada com acessibilidade

Agora, mais do que nunca, estamos prestando atenção em nossas casas, convivendo intensamente com todos seus cantinhos… Para quem precisou trabalhar ou estudar de casa, ter um espaço dedicado para essa finalidade nunca fez tanta falta. Seja em casa ou na volta ao escritório, o espaço de trabalho merece nossa atenção; não só porque passamos a maior parte do dia nele, mas também porque sua composição pode afetar nosso bem-estar e produtividade – positiva ou negativamente.

Cada pessoa tem um perfil e características distintas, e os estímulos que recebe podem ser otimizados para melhorar o seu bem-estar e desempenho. Reunimos algumas dicas em um e-book ilustrado para ajudá-lo a montar um home office – ou estação de trabalho, bacana e funcional no espaço que você tiver disponível. Ao final, você poderá acessar o link para baixá-lo integralmente.

A seguir, apresentamos alguns destaques do que você vai encontrar no conteúdo. E seja qual for seu perfil, não se preocupe: tenho certeza de que vai achar uma dica que possa aproveitar para criar um ambiente favorável ao seu potencial e agradável à sua convivência. 

Espaço

Um fator importante é saber qual a intensidade do uso que você vai dar ao espaço. Se você só precisa de um lugar de apoio eventual para fazer alguns trabalhos, um espaço integrado a outro ambiente ou um canto da casa pode funcionar. Mas, se você trabalha de casa em tempo integral, o ideal seria ter um cômodo dedicado a essa finalidade. 

Móveis

Com uma mesa e uma cadeira já podemos começar! Se o uso do home office for mais intenso, você deve precisar de mais alguns móveis, como armários e prateleiras, por exemplo. Escolher uma boa cadeira, com os ajustes necessários à ergonomia, pode favorecer seu conforto, sua disposição e, assim, também o seu desempenho. Ao final do dia, sua coluna irá agradecer. 

Iluminação

A iluminação é um item fundamental que influencia diretamente no seu bem-estar e produtividade. Um ambiente bem iluminado traz conforto visual e contribui para evitar a fadiga e o cansaço. É importante saber usar a luz natural e a artificial a seu favor. 

Organização

Um escritório bem organizado pode ajudar muito a aumentar nossa produtividade. Conseguir achar o que precisa de maneira fácil e manter um ambiente clean, limpo e ordenado facilitam muito o dia a dia! Para isso, podemos lançar mão de diferentes recursos, desde organizadores de fios, caixas, desk organizers e peg boards… Cada um, ao seu jeito, vai encontrar o que ajuda a deixar o ambiente mais adequado às suas tarefas.

Decoração

Agora é a hora de dar vida ao seu home office! Coloque sua personalidade nele, dê o seu toque. É possível que você passe a maior parte do tempo na sua estação de trabalho, então é justo que você se sinta muito bem nela. Use a decoração para te trazer conforto e inspiração.

Para montar um bom espaço de trabalho, tudo depende do seu estilo pessoal e dos equipamentos que você precisa para executar suas tarefas diárias. Pense em um lugar confortável e tranquilo para que você trabalhe com mais organização e comodidade.

Outra dica importante é parar: relaxe, respire… Não negligencie as pausas ou as refeições, esses momentos são importantes para restabelecer a energia e o equilíbrio.

Para conferir todo o conteúdo e as inspirações separadas para você, baixe o e-book Guia dos 5 pontos mais importantes para montar seu melhor home office.

Ah, faça tudo isso com muito prazer!

Baixe agora o guia para
melhorar seu home office

Espero que essas dicas ajudem a planejar seu espaço de trabalho, seja em casa ou no escritório.

Compartilhe!