A história da humanidade está repleta de exemplos de liderança que direcionaram pessoas a conquistarem o inalcançável ou que levaram civilizações inteiras à ruína.

Temos muitas dúvidas ao pensar no conceito de liderança: liderança é inata ou pode ser aprendida? São as equipes que fazem um líder ou o líder é que molda as equipes? De quais formas um mesmo líder pode gerenciar equipes diferentes?

Este artigo traz uma abordagem diferente sobre o significado da palavra liderança. Juntos, vamos repensar como a liderança pode ser usada não só no trabalho, mas também em sua vida.

 

O que significa liderança e como diferenciar um líder de um chefe?

Os deveres dos que estão no comando incluem decisões importantes, gerenciamento de conflitos, desenvolvimento de planos de ação, negociações e balanços de objetivos e metas, dentre muitos outros. Esta lista elenca uma diversidade grande de atribuições, mas não é ela que determina se aqueles que desempenham essas funções são, de fato, líderes.

Então, qual é a diferença entre liderança e chefia?

A liderança se concentra na interação direta entre o líder e os colaboradores da equipe. Nela, as habilidades de comunicação do gestor e sua capacidade de construir relações de confiança com e entre os liderados é o que faz da pessoa no comando ser um líder, não um simples chefe.

Em contrapartida, a chefia é caracterizada por estruturas de gerenciamento e comando que funcionam de cima para baixo (hierarquia verticalizada).

Liderança é, portanto, um processo que quebra com parâmetros de microgerenciamento e foco exclusivo em resultados. Um líder transmite bem sua visão e constrói perspectivas de longo prazo.

Líderes envolvem equipes ao invés de dividi-las, procuram maneiras de melhorar abordagens e entendem o desempenho do grupo como um reflexo do esforço, do bom trabalho e da dedicação de todos. Um líder pensa e decide com um olhar atento sobre coletividade.

Um líder não fica em uma zona de conforto aguardando que os profissionais da sua equipe retornem com resultados esperados – isso é uma atitude de chefe. O líder também não assume o comando sem dar oportunidades às equipes de elaborarem soluções: ele vai junto, acompanha, inspira.

 

Quer entender como o comportamento afeta a performance das equipes?

Conheça o workshop Gestão Comportamental para Líderes

 

Entenda quais são as formas de liderar e de que maneira elas são aplicadas

Muitos limitam o entendimento do conceito de liderança a: (1) ter conhecimento sobre os negócios; (2) dispor de profissionais subordinados; e (3) e ter experiência profissional na área em que atua. Mas liderança é muito diferente disso…

Atender a esses “pré-requisitos” não é suficiente para ser um bom líder. Na verdade, estas exigências são só parte do que se espera da pessoa que está no comando de uma equipe.

À frente, vamos examinar os diferentes perfis de liderança mais de perto. Mas, para entender o seu estilo de liderar, primeiro você deve saber quais são as diferentes formas de liderança.

 

Liderança tradicional (chefia)

A liderança tradicional foca em metas, não em pessoas. Nela, o líder recompensa ou pune as pessoas que lidera de acordo com seu compromisso ou desempenho. O chefe gerencia a partir do que ele vê com uma distância segura, que deixa clara a sua posição de poder.

Com este tipo de mindset, as recompensas e punições são aplicadas como melhor parecer ao chefe. É comum que sejam usadas como forma de controle, podendo gerar atritos e injustiças dentro das equipes chefiadas.

A dificuldade da liderança tradicional aparece no ambiente que ela cria: a competitividade diante dessas recompensas pode prejudicar as relações humanas.

 

Liderança comportamental

A liderança comportamental desmembra-se em três tipos: autocrática, democrática ou liberal.

Na liderança autocrática, o líder sempre intervém, usando uma comunicação unilateral, em que só ele fala, mas não escuta a sua equipe. Este tipo de liderança apresenta um alto nível de controle e funciona bem onde há muitas dúvidas sobre como fazer o trabalho. O líder autocrático não motiva seus times, e os profissionais comumente sentirão que perderam sua liberdade de ação e decisão.

A liderança democrática maximiza a horizontalidade na comunicação. O líder comanda, mas não esquece da importância de prestar atenção ao feedback dos colaboradores que lidera. Este é um tipo de liderança que proporciona o aumento da motivação e do interesse dos profissionais, mas encontra dificuldades em equipes muito despreparadas.

Já a liderança liberal (também chamada de laissez-faire) vem do termo francês “deixe fazer. Este tipo de liderança prioriza a liberdade e autonomia dos liderados e é particularmente eficaz sobre equipes altamente motivadas e capazes. O estilo, porém, pode nutrir líderes complacentes ou permissivos, cujo papel acaba por se limitar a distribuir tarefas.

 

Liderança situacional

Esta teoria foi desenvolvida por dois cientistas nos anos 1970 e afirma que não existe apenas um único estilo de liderança eficaz. Nela, o líder deve adaptar um estilo diferente para lidar com cada um dos seus colaboradores, ajudando-os a crescerem e se tornarem autônomos de acordo com o seu nível de maturidade.

Recomendamos:
  Aplicar o DISC a partir de que idade?

A liderança situacional prega que o líder deverá agir de acordo com a necessidade de cada colaborador em diferentes situações, oferecendo suporte técnico ou de relacionamento. Desta forma, esta liderança por ser observada em quatro aspectos:

      • Direção: Aqui, o líder deve orientar e servir de exemplo. Quem ocupa o papel de liderança resolve questões demasiadamente complexas e atribui tarefas precisas de acordo com a maturidade e a expertise do colaborador. Este estilo gera segurança e oferece suporte técnico.
      • Orientação: A liderança por orientação estimula o desenvolvimento tanto de habilidades técnicas como de autocorreção e planos de ação. O colaborador aprenderá a ouvir e pesquisar soluções tendo o líder como guia. Este estilo aumenta a confiança e oferece suporte técnico e relacional.
      • Apoio: Aqui, o colaborador tem espaço para expor ideias e ambições. O líder tem o papel de estimular e fazer o colaborador sentir-se valorizado com tarefas de maior responsabilidade. Este estilo aumenta o engajamento e oferece suporte relacional.
      • Delegação: A delegação empodera o colaborador, dando-lhe autonomia sobre projetos ambiciosos. Quem exerce essa liderança deve fornecer ferramentas e informações, para, então, monitorar se o objetivo final é alcançado. Este estilo favorece o desenvolvimento de pessoas com níveis relacionais e técnicos já altos.

A busca por soluções para lidar com os desafios da transformação digital no mundo dos negócios coloca um holofote sobre o estilo de liderança situacional, por sua versatilidade. Porém é preciso que o líder esteja muito bem equipado e preparado para identificar a maturidade e o nível de prontidão e engajamento dos seus colaboradores.

 

Conheça os perfis de liderança mais frequentes de cada fator DISC e suas principais características

Uma pesquisa realizada pela ETALENT durante a HSM ExpoManagement deu origem à publicação Talentos da Liderança Nacional. Nela, são identificados 12 estilos de liderança, apresentando análises aprofundadas sobre cada um deles. A seguir, listamos os perfis mais frequentes de cada um dos fatores DISC.

 

Líder Observador

Líderes observadores têm a eStabilidade como fator mais acentuado do comportamento. São excelentes em perceber o desenvolvimento das ações e dos projetos desde a sua origem e, consequentemente, prevenir falhas e conflitos entre pessoas, encorajando um ambiente de trabalho harmonioso. O líder com perfil observador se caracteriza pela atenção aos detalhes técnicos e por promover a segurança na equipe.

Líderes observadores são muito aplicados, costumam experimentar soluções antes de sugeri-las, transmitindo segurança e credibilidade para seus colaboradores.

 

Líder Influenciador

Líderes influenciadores têm a Influência como fator mais acentuado do comportamento. São comunicativos, carismáticos e persuasivos, mas consideram e ponderam a opinião dos seus liderados, sem se descuidar da objetividade e da orientação para resultados. O líder com perfil influenciador é focado em manter o clima de harmonia e conciliação no ambiente de trabalho. Em algumas situações, se mostrará mais firme e assertivo, mas, sempre que possível, terá paciência para ouvir e levar em conta outros pontos de vista.

Este é um líder que influencia, seja no aspecto coletivo, usando sua capacidade de expressão em público, como no aspecto individual, dialogando e dando atenção com amabilidade, sem exageros.

 

Líder Regulador

Líderes reguladores têm a Conformidade como fator mais acentuado do comportamento. São perfeccionistas e encaram a vida como um grande conjunto de regras e padrões a seguir. Na busca pelos melhores resultados, seu foco está na manutenção de um alto padrão de qualidade nas entregas. Por isso, esse perfil de liderança cobra resultados dos seus liderados e pode ser visto como uma pessoa muito exigente e de temperamento forte. O líder com esse perfil de comportamento estabelece métodos estruturados para desenvolver os projetos.

 

Líder Direcionador

Líderes direcionadores têm a Dominância como fator mais acentuado do comportamento. São dinâmicos e orientados pela rapidez na resposta e o senso de urgência. O líder com perfil direcionador tende a ser ambicioso e com um relativo autocontrole, mas que também pode se mostrar bastante sociável em situações informais e abertas. Apesar disso, ele tem consciência das necessidades dos seus liderados e seu raciocínio é ordenado, o que o torna menos impulsivo e imprevisível do que outros perfis extrovertidos. Apesar da sua automotivação e independência acentuadas, este líder entende que as necessidades de uma organização podem exigir que, eventualmente, ele abra mão de sua própria ambição em função da equipe.

 

Quer saber tudo sobre o comportamento das lideranças no Brasil?

Baixe o e-book Talentos da Liderança Nacional

 

Como liderar bem uma equipe?

Neste artigo, vimos que uma boa liderança oferece suporte, estimula, define objetivos claros e os comunica bem para os seus liderados. O líder de verdade reconhece, dá exemplos, participa dos processos e, talvez o mais importante: espera o melhor de suas equipes.

É importante saber que é possível modificar temporariamente ou alterar um estilo de liderança para liderar uma determinada equipe da melhor forma. Para que sua liderança produza os melhores resultados, o primeiro passo é identificar os pontos a serem trabalhados. A ETALENT oferece consultorias e treinamentos que o ajudarão a identificar estes pontos.

Descubra como ser um líder extraordinário com a ETALENT!

Compartilhe!