Guia Completo Metodologia DISC

O primeiro semestre de 2019 está chegando ao fim e junto dele, muitas histórias aguardam seus desfechos no streaming mais badalado do momento. Uma delas é Lucifer, que recentemente anunciou a quinta e última temporada da saga.

A série conta a história do anjo homônimo que, após cair dos céus e assumir a gestão do inferno, resolveu “tirar umas férias” na Terra.

Mantendo em segredo sua identidade, ele resolve ajudar a polícia investigativa de Los Angeles após conhecer Chloe Decker, detetive pela qual o charmoso protagonista se afeiçoa.

Como a gente adora uma história com pessoas repletas de talentos únicos, decidimos analisar a influência do perfil comportamental ao longo da jornada dos principais personagens da série.

Afinal, quem não deseja compreender a natureza humana?

A gente também gostou, Lucifer!

Atenção: o texto a seguir contém spoilers de alguns episódios da série.


Asas, pra que te quero?

Comecemos pelo diabo em pessoa. Lucifer Morningstar é o ser que reina o tão temido inferno, habitado por humanos que não se comportaram muito bem em sua passagem pela Terra.

De personalidade forte e espírito rebelde, o carismático anjo caído decide resolver alguns casos criminais em suas férias terrestres.

Persuasivo como nenhum outro ser, típico de indivíduos com alta Influência, o dono da icônica boate da cidade tem o poder de arrancar das pessoas seus desejos mais primitivos.

A gente até arriscaria dizer que é puro charme… não fosse sabermos de seu dom celestial, é claro.

Lucifer pode ser meio irresponsável, egocêntrico e narcisista, mas seu entusiasmo para resolver crimes — unindo prazer com dever, é sem dúvidas o ponto forte do Sr. Morningstar.

Nós que agradecemos, tio Lucifer :)

Claro que ele não deixaria de apresentar alguns comportamentos negativos. Seu descontrole emocional quando o assunto é injustiça ou possíveis manipulações de seu Pai (especificamente Deus) geram conflitos existenciais que tornam Lucifer agressivo e inconsequente.

Isso, por sua vez, reflete em atitudes preocupantes, como cortar suas asas constantemente ou magoar a Chloe, sua parceira de investigação.

Talvez uma Devolutiva Individual fosse capaz de ajudar nosso divertido e teimoso Lucifer a lidar melhor com suas características comportamentais.

Poderíamos até sugerir à Dra. Linda, terapeuta de Lucifer, em adotar a Metodologia DISC nas sessões. Quem disse que os celestiais não precisam investir em autoconhecimento?

Lucifer e suas expressões faciais únicas

O dever nos chama, Detetive!

Do outro lado dos mistérios que a polícia resolve, temos a dedicada Chloe Decker. Apaixonada pelo trabalho e determinada a fazer diferença, Chloe se supera diariamente na missão de equilibrar trabalho e famíliajá que tem uma filha de nove anos para cuidar após o divórcio.

Ao longo dos episódios, Chloe vai se adaptando ao seu novo parceiro Lucifer. Aturando seu jeito rebelde e por vezes infantil, a detetive é reflexo de como a alta eStabilidade e alta Dominância podem coexistir e funcionar tão bem.

Persistente no decorrer dos casos, paciente ao lidar e orientar Lucifer; quando precisa ser mais assertiva, Chloe enfrenta seus medos e inseguranças em prol de promover a justiça — mesmo que o risco de vida seja alto.

Sim, é difícil focar com um anjo narcisista do lado.

O resultado dessa dupla é o que vemos de melhor na série: sinergia em equipe. Enquanto ela é orientada pelas regras do trabalho, Lucifer vive buscando um jeito de “encurtar” o desfecho dos casos.

Claro que isso gera conflitos (alguns até bem engraçados), mas no final a vontade de realizar a justiça e punir os verdadeiros criminosos, somados aos perfis comportamentais que se complementam, garantem diversos casos solucionados.

Fica apenas um conselho: uma análise de percepção DISC teria facilitado muito a relação entre os dois durante os casos, principalmente quando Lucifer adota suas metáforas celestiais.

Aff, isso é sério Luci?

O braço direito (e armado) de Lucifer

Era de se esperar que o sociável Lucifer viesse acompanhado nas férias terrestres. E nada menos que a pessoa de sua maior confiança juntou-se: Mazikeen.

Também conhecida como Maze, a melhor amiga do anjo e torturadora nas horas vagas do inferno assume um comportamento independente e direto — principalmente em suas aventuras como caçadora de recompensas.

Responsável pelo bar da boate e por garantir a integridade física de Lucifer, Maze apresenta características típicas da alta Dominância.

Autorreferenciada, coloca seus interesses pessoais como prioridade e faz acontecer o que deseja. Naturalmente desconfiada, a implacável companheira de Lucifer arranja confusão por onde passa.

Maze, Maze...

O maior obstáculo de Maze acaba sendo seus próprios sentimentos. Sentindo-se traída e esquecida por Lucifer quando ele decide passar mais tempo na Terra do que o esperado, a caçadora atira-se em missões e experiências que tragam sentido e pertencimento.

Felizmente a energia e consideração de Maze acabam falando mais alto quando alguém do time encontra-se em perigo. Sua capacidade de superar as emoções negativas e os infortúnios de seu trabalho tornam Maze um talento de grande valor.

O bom irmão a Terra torna

Um dos filhos favoritos de Deus, o anjo Amenadiel é mais celestial envolvido nas tramas de Lucifer.

Enviado na missão de convencer Lucifer a retornar ao inferno, o poderoso anjo não tem vida fácil quando o assunto é aconselhar — e até mesmo proteger — o irmão em suas caóticas aventuras.

Apesar da postura confiante e da determinação em cumprir com as missões designadas por seu Pai, Amenadiel destaca-se quando o assunto é ouvir e ajudar.

Adotando um comportamento típico da alta eStabilidade, o anjo é o primeiro a surgir quando as coisas não estão dando certo.

Mesmo discordando de algumas decisões e motivações dos outros, o desejo de auxiliar os humanos, provando sua bondade e fidelidade aos “testes” que Deus lhe encarrega, acaba sendo mais forte.

Apesar de algumas decisões ruins no início da série, a gente sentiu falta sim

Sua paciência e consideração são bases para a resolução de problemas entre a equipe — principalmente quando seus irmãos e outras figuras celestiais visitam a Terra.

Disposto a aturar algumas desavenças do irmão, talvez o maior talento de Amenadiel seja ver o melhor lado das pessoas, sempre tentando ajudá-las a encontrar seu propósito de vida.

Até o Lucifer faz terapia, sabia?

Não basta os problemas mundanos dos humanos, a Dra. Linda Martin ainda precisa aturar os conflitos existenciais dos celestiais.

Psiquiatra de formação, ela inicialmente orienta Lucifer em sessões de terapia, pois o anjo encontra dificuldades no seu relacionamento com a detetive.

Seu envolvimento na trama aumenta quando, um por um, os amigos de Lucifer descobrem que o mesmo está visitando o consultório de Linda.

Extremamente cautelosa e empática — características comuns em indivíduos de alta Conformidade e alta eStabilidade — a doutora acaba por ajudar todos em momentos de emoções conflitantes.

Mais um dia normal no consultório da Dra. Linda

O interessante é ver a paixão de Linda pelo seu trabalho, sempre atentando aos valores e à ética de sua profissão. No decorrer da trama, inclusive, ela quase perde sua licença devido a algumas más decisões do passado.

Aterrorizada, ela vê seus pacientes e amigos lhe ajudando a superar esse imbróglio. Prova de que ao fazer algo que amamos num ambiente de cooperação, as coisas fluem melhor.

“Não é como se eu não soubesse que estou lidando com o mais poderoso, bem, digamos… o mais disfuncional da família celestial, Lucifer. Escolhi ser seu amigo e enfrentar tudo o que vem com essa relação. O bom, o ruim e o crocante” — diz Linda.

Redenção, resiliência e alguns pudins

Chegamos ao outro detetive da história e ex-marido de Chloe. Surfista e ator de improviso nas horas vagas, Dan Espinoza preza pela seriedade e profissionalismo nas investigações.

Claro que o detetive vê Lucifer no sentido contrário — e como Chloe passa bastante tempo ao lado do nosso diabo favorito, Dan foca em manter a detetive segura e longe da irresponsabilidade potencial de Lucifer.

Perturbado por más decisões no passado, seu grande desejo na série é tornar-se uma pessoa melhor a cada dia. Após casos de corrupção, divórcio e rebaixamento de cargo, o mais provável é que o perfil comportamental de Dan tenha ficado em situação especial.

No fundo, a gente sabe que os dois se amam (ou não).

Mesmo com tantas frustrações para lidar, Dan coloca todo o seu foco em cada caso, buscando ser um pai mais presente como forma de superar as adversidades.

Resiliência é uma boa palavra para o detetive (principalmente quando Lucifer furta seus pudins na geladeira da delegacia).

Animação e entusiasmo na cena do crime

Aparecendo pela primeira vez no início da segunda temporada, Ella Lopez é sinônimo de diálogos divertidos, explicações animadas e abraços gratuitos.

Cientista forense da delegacia, a jovem católica é a cara da alta Influência — fator comportamental de destaque em pessoas comunicativas, sociáveis e que gostam de trabalhar em equipe.

O afinado senso de humor de Ella garante bons momentos durante as investigações, ainda mais quando sua perceptividade e poder de conexão  ajudam a equipe a solucionar casos complexos.

Aliás, tais habilidades, quando somadas ao detalhado trabalho da cientista, revelam uma saudável presença de Conformidade — fator comportamental comum em indivíduos orientados pela qualidade e precisão.

E aí, vamos resolver um divertido assassinato?

Podemos dizer que Ella é um excelente exemplo de adequação comportamental: sua maneira de ser, somada a uma equipe empenhada e que se conhece bem, garante à cientista uma energia e motivação única ao chegar nas cenas do crime. Felicidade e produtividade andam juntas, concorda?


Lucifer tem uma pergunta para você…

Lucifer, seus olhos estão estranhos...

Se o Lucifer trabalhasse aqui na ETALENT, pode ter certeza que ele faria essa pergunta:

Qual o seu desejo mais profundo no trabalho?

Seria reduzir o turnover? Contratar mais e melhor? Aprender sobre a Metodologia Comportamental mais utilizada no mundo?

Conte para a gente nos comentários!

Aproveite e veja também nosso artigo sobre Suits, o primeiro da série O DISC nos sucessos da Netflix.

Até a próxima 🙂

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: