No ambiente organizacional, autodesenvolvimento é um conceito muito utilizado para expressar o compromisso que o funcionário assume consigo mesmo de crescer no âmbito pessoal e no trabalho, aumentando as suas capacidades e possibilidades de atuação.

Quando um funcionário está desempenhando as suas atividades com excelência e é proativo, significa que ele se autodesenvolveu. Mas existem pessoas que precisam de um “empurrãozinho” a mais para ajudar a focar em seus objetivos e garantir o sucesso profissional.

Sendo assim, podemos afirmar que o autodesenvolvimento é uma importante e essencial estratégia para aumentar o desempenho da equipe. Quer entender mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Entenda mais sobre o autodesenvolvimento

O autodesenvolvimento envolve a intensificação do potencial do funcionário para aumentar as suas possibilidades de atuação. Com ele é possível buscar novos conhecimentos, ultrapassar horizontes e ser proativo na busca de soluções inovadoras para os problemas encontrados no ambiente de trabalho.

Nesse cenário, existem duas situações quando nos referimos ao desenvolvimento de talentos.

1. Potencialização das habilidades

A primeira situação é a mais fácil do autodesenvolvimento: é quando o funcionário é habilidoso, proativo e sabe aproveitar as oportunidades de crescimento.

Dessa maneira, ele tem um talento natural para realizar as suas tarefas e não encontra dificuldades no caminho. Nesse caso, é necessário apenas valorizar o que ele tem de melhor e trabalhar na manutenção de sua satisfação.

2. Adaptação à mudanças

A segunda situação é um pouco mais complexa: é quando o funcionário não possui as habilidades necessárias, mas precisa se adequar ao cargo que vai desempenhar.

Nesse caso, é preciso avaliar todas as mudanças que são necessárias, oferecendo os recursos necessários e compreender se ele está disposto (ou não) a se adaptar.

Agora que você compreendeu bem o conceito de autodesenvolvimento no cenário organizacional, vamos apresentar algumas dicas para que você faça isso. Leia mais!

Ajude os funcionários a fazer uma autoavaliação

Muitas vezes, esperar que o funcionário compreenda e entenda sozinho sobre a importância do autodesenvolvimento, não é um caminho de sucesso. Por isso, ajudá-lo a fazer a sua autoavaliação é fundamental.

Mas, para que isso aconteça, é preciso ter uma comunicação de mão dupla com a equipe, pois ela precisa sentir confiança em você. Reserve um momento do dia para questionar:

  • o que você gosta de fazer?
  • você tem interesse em ser um empreendedor?
  • já teve vontade de mudar de área de atuação?
  • o que você espera dessa empresa?
  • quais são as suas principais habilidades e dificuldades?
  • você costuma ser elogiado?
  • quais são os assuntos que mais lhe agradam?
  • você está feliz em sua carreira?
  • se você pudesse, faria outra escolha profissional?
  • você acha importante e tem interesse em se aprofundar em sua área?

Essas perguntas direcionam o funcionário a pensar e questionar sobre a sua carreira e, caso seja necessário, tomar providências de mudança.

Por isso é muito importante investir nessas técnicas: estimule esse tipo de conversa, criando reuniões periódicas sobre o assunto e ajudando as pessoas a se desenvolverem.

Qualifique e aprimore as habilidades dos colaboradores

O primeiro passo para ajudar os funcionários em seu autodesenvolvimento é os conhecendo bem. Assim, você sabe exatamente quais são as suas habilidades e pode focar naquilo que eles sentem mais dificuldade, ajudando-os a se desenvolverem.

Além disso, a desculpa de não ter tempo ou dinheiro para investir em sua carreira, na atualidade, não é uma verdade. Isso porque existem uma infinidade de materiais ricos e gratuitos na internet, que possibilitam o seu desenvolvimento, tais como:

  • podcasts;
  • cursos;
  • certificações;
  • palestras;
  • workshops;
  • webinars;
  • e-books.

Melhore a comunicação dentro da empresa

Você pode estimular o autodesenvolvimento de seus funcionários, criando um planejamento estratégico de conteúdo a ser compartilhado. Ele pode ser afixado nos murais, enviado por newsletters ou publicado no jornal interno. Você pode abordar:

  • dicas;
  • mensagens motivacionais;
  • mensagens incentivando grandes mudanças;
  • cursos na região;
  • cursos gratuitos;
  • convite para palestras e reuniões.

Saiba dar feedbacks positivos

É necessário sempre feedbacks positivos e isso pode ser feito em público. Elogiar os funcionários pelo trabalho bem feito ou pelas suas habilidades, é uma importante ferramenta de reconhecimento.

Mas atenção! Jamais chame a atenção ou fale algo negativo na frente dos demais colegas. Sempre que for necessário conversar sobre algo errado, chame o funcionário em particular e sempre procure ouvir: identifique os reais motivos de ele ter agido daquela maneira.

Ofereça uma orientação de carreira

Se você tem um funcionário e está tendo dificuldades de ajudá-lo a centralizar em sua carreira, talvez ele não esteja no setor certo. Então, é preciso rever onde estaria melhor adaptado.

Por isso, ofereça uma orientação de carreira – programa que utiliza metodologia e ferramentas comportamentais para identificação do talento, aumento do autoconhecimento, utilização de processos estruturados de desenvolvimento pessoal e profissional e direcionamento para áreas e funções compatíveis com a natureza básica da pessoa.

Assim, é possível identificar se talvez ele não tenha escolhido a profissão errada. Nesse caso é preciso ter uma conversa franca com ele e apontar novos caminhos.

Isso porque de nada vai adiantar você manter um profissional que não atende aos requisitos necessários na vaga. Isso causa infelicidade tanto para ele, quanto há a possibilidade de problemas futuros para a empresa – que pode ser evitado ao contratar um talento mais qualificado.

Utilize métricas de avaliação

É preciso saber monitorar as equipes para ter a certeza de que o programa de autodesenvolvimento está sendo efetivo. Para isso, avalie:

  • indicadores de desempenho;
  • indicadores de comportamento;
  • taxa de faltas e absenteísmo;
  • taxa de transferência de setor;
  • taxa de desligamento;
  • taxa de promoção.

O autodesenvolvimento é importante tanto para o funcionário desenvolver tanto o seu lado pessoal, quanto profissional. Nesse caso, a empresa só tende a ganhar com esse investimento, pois quando ele está satisfeito com o seu papel exercido dentro da organização, tende a produzir mais e, consequentemente, há um grande crescimento e destaque no cenário mercadológico.

Com este post, você aprendeu sobre a importância do autodesenvolvimento. Esperamos que você tenha gostado do texto e o quanto o autodesenvolvimento é importante para o bom desempenho do profissional e de toda a equipe com quem trabalha. Ah, aproveite o momento para assinar a nossa newsletter e receber nossos conteúdos sobre gestão de pessoas!

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário:

Como encontrar o melhor candidato para sua vaga | Ebook Grátis
Ebook Gratuito Dinâmicas de Grupo