Guia Completo Metodologia DISC

Sempre ouvimos de amigos e familiares histórias onde os mesmos se descrevem cumprindo sua rotina de trabalho normalmente e, de repente, tiveram uma dor na coluna, uma distensão muscular ou até o mais comum como episódios periódicos de dores de cabeça. 

Muitas vezes estamos cumprindo nossa obrigação formal com o trabalho, mas aquela função não traz prazer algum para nossa vida. Ou seja, até damos nosso melhor para suprir as demandas do nosso cargo, mas para isso temos que forçar comportamentos que não são de nossa essência e em cargas cada vez maiores – tornando-se insustentável.

Essa carga emocional em níveis muito elevados desencadeia também doenças psicossomáticas e, em alguns casos, danos irreversíveis. 

Empresas costumavam contratar profissionais por suas habilidades técnicas e acabavam os demitindo pela falta de alinhamento dos soft skills esperados para a vaga em questão. 

Hoje, um dos desafios do RH estratégico, no que diz respeito a R&S, é minimizar os gaps de comportamento entre o cargo e candidato, tendo em vista que profissionais que não estão adequados ao seu talento estão menos aptos a gerarem resultados, gerarão mais custos e consequentemente aumento do turnover na empresa.

Os reflexos na vida das empresas e dos profissionais

Trocando em miúdos: Qual o custo disso para as empresas? ResultadosE qual o custo disso para o funcionário? Sua saúde

O médico anestesiologista Olympio Chacon, especialista em dor (FMUSP/AMB), observou ao longo de sua trajetória no Instituto de Câncer de São Paulo alguns fatores a serem levados em consideração:

“No mundo de hoje estamos cada vez mais conectados. Isso, além de ser estressante, nos leva a desenvolver condições de dores crônicas como: lombalgia crônica, osteoartrites, fibromialgia e correlação direta com alterações da saúde mental. Essa manifestação ocasiona os famosos distúrbios de ansiedade, síndrome do pânico, transtorno obsessivo-compulsivo. Todos esses fatores alteram a evolução do paciente e diminuem sua perspectiva de melhora.”
Olympio Chacon

Como esse processo ocorre em nosso corpo?

Substâncias chamadas de neurotransmissores, no caso a noradrenalina e a serotonina, fazem parte tanto do sistema que modula a percepção da dor quanto do sistema neuronal que controla o humor.

Quando gerado o desequilíbrio, sistemas psicológicos começam a aparecer. Como podemos tratar esse paciente?

Medicamentos antidepressivos em casos extremos, psicoterapia e recolocação do profissional em um ambiente mais ecológico para o seu talento natural.

A Ecologia Humana da ETALENT

Nós da ETALENT temos a missão de ajudar pessoas e organizações a gerir o capital humano de maneira ecológica, colocando os profissionais certos, nos lugares certos. 

Uma de nossas soluções integradas é o Etalent Pro que é capaz auxiliar desde a seleção do candidato, sua ambientalização e seu processo de desenvolvimento, tudo partindo do seu autoconhecimento.

Atrelado a isso, temos o nosso programa para desenvolvimento pessoal e profissional, o Personal Change. Nele aquele profissional que estava perdido e com dor vai ter a oportunidade de conhecer seus pontos fortes e fracos e trabalhar em cima deles, sendo ativo na criação de ações concretas para sua mudança, com metas, prazos e feedback. 

Mudando o seu curso de vida de forma consciente e recompensadora, pois o autoconhecimento é o principal caminho em direção à felicidade.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: