Costumamos ver o termo “desenvolvimento” associado a pessoas. No entanto, aqui neste material você vai conhecer outro tipo de uso para esse conceito que, embora inclua as pessoas, diz respeito ao ambiente organizacional.

Desenvolvimento organizacional (DO) é uma expressão que já existe há algum tempo e pode ter mais de um sentido. Aqui, você vai entender alguns dos seus significados e saber qual é a função desse fator em uma empresa.

Antes de tudo, vale esclarecer que essa ideia, enquanto campo de estudo, faz parte da área de comportamento organizacional e, com isso, tem total relação com o capital humano de uma empresa, ainda que a preocupação seja para o funcionamento como um todo.

Algumas definições para desenvolvimento organizacional

Um primeiro olhar para esse conceito é o de que ele representa qualquer iniciativa de uma empresa para aumentar a participação de colaboradores nos assuntos organizacionais.

Outra visão diz respeito a um modelo normativo que estabelece determinados tipos de comportamento como mais adequados para o contexto de trabalho como um todo, refletindo em melhores desempenhos.

Nos últimos 10 anos, porém, uma visão mais avançada sobre o desenvolvimento organizacional vem ganhando espaço.

Ao dar mais ênfase às relações interpessoais e aos processos grupais, o DO pode ser definido como uma estratégia educacional que visa trabalhar crenças, valores e estruturas organizacionais a fim de melhorar a adaptação da empresa ao processo de inovação (incluindo novas tecnologias) e ao mercado como um todo.

Sendo assim, podemos dizer que uma empresa que esteja passando por mudanças internas mais profundas e pretenda alinhar sua cultura aos objetivos do negócio, de forma que a força de trabalho seja vista em toda a sua complexidade, está colocando em prática o desenvolvimento organizacional.

A função do DO em uma empresa

Mas por que uma empresa resolve analisar seu próprio funcionamento? Qual a função do desenvolvimento organizacional numa perspectiva global sobre um negócio?

Bom, respondendo à primeira pergunta, as empresas se analisam quando percebem que há problemas a serem resolvidos – problemas esses que sempre vão afetar os resultados de uma maneira global. Mas por que sempre?

Porque tudo numa organização é interdependente – cada pessoa, cada processo e ação está inter-relacionado. Geralmente, essa busca por respostas se deve a uma baixa lucratividade ou outras questões concretas que representam apenas a ponta do iceberg.

Diante disso, como possível resposta ao segundo questionamento, a função do DO dentro de uma empresa é de justamente trazer o autoconhecimento para o negócio e, com ele, agir de acordo com o que foi analisado e planejado como solução e também com as diretrizes de mercado.

Para melhorar a visualização dos possíveis territórios de mudança em que o DO atua, veja como se configuram, segundo teóricos:

  • conhecimento, valores, atitudes e comportamentos das pessoas e grupos que fazem parte da organização;
  • hábitos, valores e filosofia da organização;
  • estruturas, layout, centralização/descentralização, sistemas de controle etc., na organização formal;
  • tecnologia, processo unitário/contínuo, mecanização/manualização etc.

O intuito é sempre aumentar a adaptabilidade do negócio diante das condições externas, aliando a esse processo, uma dinâmica interpessoal favorável para o desenvolvimento individual e coletivo da equipe de trabalho.

Isso inclui metas como relações cooperativas, consenso, integração, criatividade, flexibilidade, inovação, dentre outras.

Quer conhecer ainda mais a visão de especialistas sobre o comportamento organizacional? Curta nossa página no Facebook e acompanhe cada conteúdo!

Comentários