Guia Completo Metodologia DISC

Quem lida e busca desenvolver comportamentos, como é nosso caso, não pode se omitir em relação a uma causa nobre e urgente como a prevenção de suicídio. Esse fenômeno já é considerado um problema de saúde pública e está assumindo proporções epidêmicas, especialmente entre os jovens, não só no Brasil como em todo o mundo. O Setembro Amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015.

É uma iniciativa da Associação Brasileira de Psiquiatria, do Conselho Federal de Medicina e apoiada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), uma organização fundada há 57 anos.

O CVV atende 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive feriados e datas pelo telefone 188, dando apoio emocional a pessoas em estado depressivo e aqueles que não sabem com quem desabafar, nem mesmo com a família ou amigos.

O atendimento é estritamente sigiloso. No site do CVV encontramos a mensagem que transcrevo a seguir:

“A cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida. Esse número já deveria ser suficiente para estimular as pessoas a se mobilizarem pela prevenção dessas mortes precoces, mas apesar dos avanços, os tabus, preconceitos e vergonhas ainda são adversários nessa luta.”

Setembro Amarelo: ações pelo Brasil

Durante todo o mês de setembro diversas ações serão vistas em todo o Brasil, em um movimento chamado de Setembro Amarelo, para chamar a atenção da população para esse problema.

O suicídio é um assunto complexo, pois ninguém se mata por um único motivo, mas a prevenção é possível e algumas ações podem ser feitas por todas as pessoas. Permitir que as pessoas desabafem e falem sobre seus sentimentos sem receber críticas é um meio de evitar que se pense na morte como solução para as dores.

A morte em si já é um tabu. Morte por suicídio costuma ser ainda mais, pois toca em questões de escolhas, crenças e barreiras sociais. Nesse sentido, muitas vezes há pouco debate e divulgação.

Em junho deste ano, o CVV lançou uma série de vídeos de prevenção voltados para o público de jovens e adolescentes, faixa etária em que mais cresceram os índices de suicídio no país.

É uma iniciativa para permitir que toda a população se engaje na causa e possa se capacitar para identificar sinais, pedir e oferecer ajuda. Os vídeos estão disponíveis no YouTube e para download no site do CVV.

Números do CVV para 2019

Neste ano, diversos fatores levam a crer que o movimento Setembro Amarelo terá alcance recorde. A começar pelo fato de que o CVV chegou a 110 postos de atendimento em todo o país com mais de 3.000 voluntários em atuação.

O movimento, no entanto, não é do CVV, mas o CVV é um dos seus mobilizadores desde o início. Quanto mais pessoas participarem das iniciativas, melhor para todos.

Exemplos de ações são a iluminação em amarelo de prédios e monumentos, caminhadas e passeios ciclísticos, palestras e rodas de debate, ações dentro de empresas e distribuição de balões amarelos.

Durante todo esse mês, as diversas ações serão compartilhadas nas mídias sociais do movimento (Facebook e Instagram) identificados como @setembroamarelo e também nos perfis oficiais do CVV (@cvvoficial).

Fotos e vídeos de iniciativas por todo o país podem ser enviadas para esses canais para estimularem mais pessoas a aderirem a causa.

Setembro Amarelo | CVV

Setembro Amarelo: marco da conscientização

É claro que suicídios não ocorrem só sem setembro, mas esse pode ser um marco simbólico de uma conscientização urgente em nossa sociedade.

Olhe ao seu redor! Se você conhece alguém profundamente triste e abalado, sugira ligar para o número 188.

Lá, essa pessoa vai encontrar alguém preparado para ouvi-lo sem críticas, com acolhimento, aceitação, seriedade, respeito, compreensão, empatia e sigilo.

São inúmeros os depoimentos de pessoas que, depois de falar sobre suas dores, reconsideraram a ideia de colocar fim à vida.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) sempre quer ouvir Como Vai Você.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: