Guia Completo Metodologia DISC

Não é novidade para os profissionais da área de Recursos Humanos que o mercado está em constante mudança e o cenário atual exige que sua atuação seja diferente dentro da organização. Nesse sentido, é preciso adotar um papel mais estratégico, seguindo a linha de um RH disruptivo.

Esse modelo é uma das principais tendências do mercado atual, resultado do aumento da competição entre as organizações para conquistar clientes e talentos, do surgimento de novas tecnologias e das exigências trazidas pelo novo perfil da força de trabalho.

Nesse sentido, abordamos no artigo as principais informações sobre o RH disruptivo, mostrando como a tendência é importante e deve ser adotada pelo seu negócio. Confira!

O que é RH disruptivo?

Antes de mais nada, é preciso entender o conceito de disrupção ou inovação disruptiva, que nada mais é que a criação de algo novo, normalmente atrelado a uma tecnologia que soluciona um problema ou necessidade não atendida por outras soluções.

O termo foi criado por Clayton Christensen, professor de Harvard, em 1995, em seu livro chamado Disruptive Technologies: Catching the Wave – Tecnologias Disruptivas: Pegando a Onda, em tradução literal. Ele discute como as novas tecnologias mudam o mercado e aborda as formas de acompanhar essas tendências.

Nesse sentido, o RH disruptivo é um novo modelo de atuação dentro de uma organização. Ele tem a finalidade de criar novos processos e estratégias que fogem do tradicional, trazendo melhores práticas para seus desafios.

Como funciona essa tendência?

Nesse modelo, todas as atividades e funções da área de Recursos Humanos podem ser alteradas e modificadas de forma disruptiva. Entre elas, estão:

  • processo de recrutamento e seleção;
  • projeto de educação corporativa;
  • meios e canais de comunicação corporativa;
  • controle de documentos e processos;
  • atualização, definição e gestão de benefícios.

O objetivo é criar algo totalmente novo, mais eficiente e que gera melhores resultados para a empresa – como engajamento, desenvolvimento do time, alcance de metas, satisfação interna e employer branding (imagem da empresa no mercado de contratação). ​

Quais são os impactos trazidos para a empresa e funcionários?

A adoção de um RH disruptivo proporciona diversos ganhos para a organização. Entre eles, estão:

  • aumento da produtividade interna;
  • redução da taxa de turnover;
  • melhora da employer branding;
  • otimização de processos da área;
  • ganho de competitividade para a empresa.

Com esse modelo a empresa passa a ter um RH mais estratégico e que contribui para o alcance das metas e objetivos do negócio. Nesse sentido, os ganhos são gerais e não apenas para esse time.

Como se adaptar ao RH disruptivo?

Agora que você já sabe o que é o RH disruptivo, deve buscar maneiras de adotá-lo em seu negócio. Primeiro, entenda que esse modelo não é algo que acontece de uma hora para outra. É necessário que passe a fazer parte de sua cultura.

Por isso, invista nos seguintes fatores que incentivam a disrupção:

  • liderança: prepare seus líderes para promoverem uma cultura disruptiva, incentivando o time a ser mais colaborativo, criativo e inovador;
  • ambiente: tenha um local de trabalho mais motivador, com ambientes para trabalho, descanso, troca de ideias e reflexão;
  • treinamentos: crie um projeto de educação corporativa moderno e eficiente, que desenvolva e prepare os profissionais da empresa;
  • tecnologia: invista em novas tecnologias e tendências para manter a área atualizada;
  • liberdade para errar: permita que os profissionais criem sem medo de sofrer punições por eventuais erros.

Além disso, é importante que a transição para o RH disruptivo seja feita de forma estruturada, com orçamento definido para testar inovações e novos processos. Isso porque, por ser algo totalmente novo, os riscos de fracasso são maiores.

E aí, o que achou do RH disruptivo? Comente abaixo o que você acha dessa tendência e se o seu negócio já está se preparando para adotá-la.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: