Sabemos o quanto uma edição de Copa do Mundo, que neste ano acontece em pleno verão da Rússia, impacta o ânimo da população brasileira, visto nossa tradição na competição, onde somos o maior vencedor com 5 títulos – o último conquistado em 2002, no Japão/Coréia do Sul.

Além disso, diversas empresas entram no clima da Copa ao gerenciar este agitado período e definir um cronograma de folgas e expedientes reduzidos em função dos jogos. É muito importante que a empresa negocie com os colaboradores a melhor saída para ambos, visando a manutenção de um bom clima organizacional.

Afinal, é fundamental garantir a felicidade e satisfação dos funcionários, essenciais para a geração de resultados.

Por falar em resultados, todos estão ansiosos para saber como a Seleção Brasileira irá performar na copa, certo?

Ao todo, serão 23 jogadores em uma missão árdua e de muita responsabilidade. E conforme o técnico Tite bem pontuou, um conjunto específico de conhecimentos, habilidades e comportamentos são fundamentais para cada jogador que ele selecionou.

Podemos dizer que a seleção de futebol é como um time de uma empresa: ela precisa das pessoas certas nos lugares corretos. Nesse momento, identificar o comportamento de cada jogador é a grande chave para o sucesso de um time que deseja ser campeão.

Sendo assim, decidimos fazer uma breve análise do que seria o perfil comportamental da Seleção Brasileira, baseado em nossa fiel Metodologia DISC.

Quais jogadores são mais relacionais, que integram a equipe nos momentos de pouca comunicação? Quais são precisos e percebem as mudanças em campo com maior detalhismo? E aqueles que são firmes e rápidos nas decisões?

Vamos ver!

Uma zaga estável e precisa

Destaque: Thiago Silva e Miranda, escolhidos para compor a dupla de zaga que deverá ser titular na Copa da Rússia.

Como sabemos, a defesa de uma seleção pode conferir a segurança necessária aos torcedores, ao técnico e ao conjunto por si só.

Começando pela posição de goleiro. Ter apenas uma estatura alta e bons reflexos já não são as únicas características importantes ao sucesso debaixo das traves. Alisson – o goleiro brasileiro, por exemplo, demonstra poder de comunicação e uma boa dose de autoconfiança ao defender sua meta, características associadas ao perfil de alta Influência.

Afinal, ele precisa se manter conectado aos defensores o tempo inteiro, intervindo em suas formas de posicionamento com assertividade e evitando que as saídas de bola sejam prejudicadas.

Os zagueiros, por sua vez, tem a missão de evitar que a bola chegue com perigo ao gol. Como fazer isso? Bom, digamos que perceptividade e segurança – comportamentos típicos de um perfil de alta Conformidade e Estabilidade, são seus pontos fortes.

Eles precisam antecipar as jogadas do ataque adversário, estando atento aos detalhes de cada movimento, ao mesmo tempo que devem sair jogando com segurança e precisão. Afinal, a transição entre os setores bem-feita garante jogadas mais eficazes, com maiores chances de abrir o placar.

Laterais ou meias?

O lateral Marcelo, destaque da seleção em 2014, vai para a sua segunda Copa do Mundo.

No futebol moderno, assim como nas empresas, limitar-se a poucas funções em sua posição já não é mais satisfatório na hora de gerar resultados. E nesse cenário, os laterais brasileiros se destacam.

Carismático e automotivado, características típicas da Alta Influência e Dominância, Marcelo torna-se um dos trunfos para a conquista do hexa. Veloz e técnico, com ótima chegada no ataque e habilidade para construir jogadas na linha de fundo, o lateral por vezes “rasga” pela intermediária do adversário através de infiltrações e triangulações com muita eficiência.

Versatilidade também é um bom adjetivo ao meio de campo da seleção. Casemiro e Paulinho – este último principalmente, não economizam esforços para chegar como elemento supresa ao ataque. Apenas cobrir a zaga não está nos planos do volante moderno, que já acumula 7 gols na era Tite, sendo o terceiro maior artilheiro da Seleção atual.

Paulinho (em destaque na foto). O meia já marcou sete gols pela seleção e hoje é um dos titulares absolutos.

Um ataque criativo e determinado

Enfim, chegamos ao estrelado ataque brasileiro. Recheado de jovens talentosos, que infernizam o adversário e tiram suspiros da torcida com dribles e jogadas de efeito, é sem sombra de dúvidas o setor de destaque da equipe.

Com média de idade de 25 anos e bastante repertório, eles não se intimidam com a responsabilidade de balançar as redes adversárias.

Comportamentos que incluem simpatia, mas ao mesmo tempo muita criatividade e determinação, destacam um ataque de alta Influência, onde Neymar e Gabriel Jesus esbanjam criatividade na comemoração de seus gols e na motivação da equipe.

Há também uma alta Dominância e alta Conformidade, representadas pela vontade de jogo e raça de Firmino, que briga pela titularidade com Jesus, e o craque Philippe Coutinho, o meia-ofensivo do esquema de Tite que é excepcional nas assistências e finalizações de fora da área, característica que lhe rende golaços desde a época do Liverpool.

Uma coisa sabemos: o técnico Tite trouxe bastante otimismo e renovação à seleção brasileira, destacando a importância do Comportamento e a necessidade de Inteligência Emocional por parte de seus jogadores.

E você, quais outras características são destaques em nossa Seleção Brasileira? Quais fazem falta? Diga nos comentários.

Um grande abraço e ótimos churrascos durante a Copa do Mundo! 🇧🇷 ⚽ 🍖

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário:

Como encontrar o melhor candidato para sua vaga | Ebook Grátis