Guia Completo Metodologia DISC

O investimento correto em treinamento e desenvolvimento de talentos torna o negócio muito mais competitivo, bem como qualifica os profissionais para que entreguem ótimos resultados. No entanto, em várias companhias, o tema não recebe a atenção devida.

Segundo uma pesquisa realizada por uma escola de negócios de São Paulo, os colaboradores brasileiros têm uma média de 21 horas de treinamento ao ano, um número inferior a outros países – como os EUA, em que cada talento recebe cerca de 33 horas de treinamento (número 36% superior ao do Brasil).

Neste artigo, reunimos uma série de informações sobre o assunto. Desejamos que você compreenda o motivo pelo qual deve investir no treinamento e desenvolvimento de equipe e que tome as ações necessárias para isso o mais rápido possível. Siga a leitura e confira!

Como é a visão estratégica na gestão de talentos?

A gestão de talentos precisa ter uma visão holística da empresa, dos funcionários e do cenário que estão inseridos para que possa promover o crescimento individual e da equipe, por consequência.

Assim, é necessário elaborar um programa de desenvolvimento para mostrar aos colaboradores que suas habilidades não estão direcionadas somente à função em que atuam no momento, mas também auxiliam para outros cargos superiores que possam vir a ocupar.

O que é e como funciona o treinamento e desenvolvimento de talentos?

Em primeiro lugar, é importante lembrar que treinamento e desenvolvimento (T&D) de equipe são processos distintos, apesar de os nomes serem usados como sinônimos. Entenda:

  • Treinamento é a capacitação para que o funcionário desempenhe a sua função corretamente na empresa, como vender ou emitir notas fiscais, por exemplo;
  • Desenvolvimento é um movimento no sentido de aprimorar certos conhecimentos e habilidades que serão úteis aos profissionais, como liderança ou comunicação.

A grosso modo, o treinamento tem foco na atividade presente, objetivando capacitar o colaborador a agir com maestria no dia a dia. O desenvolvimento possui foco no futuro, garantindo o bem-estar com as tarefas diárias e o crescimento do profissional com a organização.

O principal responsável pelo processo de T&D é o RH da empresa, mas todos os outros setores e líderes da companhia devem investir no crescimento dos seus subordinados.

Como preparar os processos de T&D dos colaboradores?

O primeiro passo para realizar os processos de treinamento e desenvolvimento de equipe é reconhecer que as finalidades desse processo são: mudar atitudes, adequar o colaborador à cultura da corporação, adaptar os indivíduos para lidar com mudanças, preparar os funcionários para serem remanejados, reduzir custos na busca pelos objetivos da organização, entre outros.

Logo, é indispensável que os gestores conheçam a missão, a visão e os valores da empresa. Desse modo, eles saberão qual tipo de profissional combina com o perfil da companhia e estarão mais preparados para analisar as demandas de treinamento.

O segundo passo é realizar uma análise sobre as necessidades de treinamento. Essa etapa tem como objetivo diagnosticar o estágio da competência dos colaboradores, ou seja, seus conhecimentos, comportamentos e habilidades.

Em posse desses dados, os gestores têm material para realizar um planejamento que visa elevar o nível de competências dos profissionais de modo a torná-los preparados para agir de acordo com as exigências operacionais e estratégicas da organização.

Vale ressaltar que o treinamento não deve ser encarado como uma aplicação aleatória de cursos e palestras ao colaborador. Ele deve ser compreendido como um momento para alavancar o cubo de competências dos profissionais de maneira sábia após uma avaliação detalhada sobre o estágio de desenvolvimento do indivíduo.

Quais são os passos para desenvolver um programa de gestão de talentos?

Avaliar processos internos e o que precisa ser melhorado

Para isso, se deve fazer um diagnóstico por meio de um levantamento dos processos internos, analisando o que necessita ser melhorado e de que maneira isso precisa ser feito. É provável que os problemas sejam inúmeros, desde baixa produtividade, ausência de agilidade e praticidade, problemas na comunicação, desatualização tecnológica, erros no recrutamento e seleção dentre outros.

Planejar o programa de desenvolvimento

O programa de desenvolvimento precisa ser feito com planejamento. Deve se pensar nas técnicas que serão usadas, para que os funcionários consigam absorver os objetivos deste aprendizado, nos instrutores que darão os cursos, número de funcionários participantes, tecnologias empregadas, quais conteúdos serão abordados, datas, horários e duração das aulas.

Analisar quais funcionários precisam realizar determinado treinamento

Antes da escolha dos profissionais que farão o treinamento, é preciso conhecer profundamente cada um deles para identificar quais estão aptos para receber novas informações e qualificar, ainda mais, seu processo de trabalho. Também é necessário consultar o orçamento disponível para que o treinamento seja bem produzido e transmitido.

Separar o conteúdo que será dado no treinamento

Se os profissionais já estão atuando na área significa que eles já têm conhecimento armazenado na cabeça. Logo, para avaliar o que deve ser transmitido no curso, é indicado conversar com os colaboradores e questioná-los sobre suas dificuldades, facilidades e o que há de novidade na área que gostariam de aprender.

Essas informações podem dar ideias de diversos conteúdos interessantes, pois servem como base para entender o que o público espera do treinamento. Os temas podem ser ajustados de acordo com a finalidade, trazendo os resultados esperados.

Após esse levantamento, deve-se buscar um profissional que domine profundamente os temas captados junto aos colaboradores. Ele completará as lacunas que estão faltando, ensinando sobre conhecimentos específicos. Além disso, abordará boas práticas para refinar o aprendizado dos profissionais.

Esse processo de levantar necessidades e identificar conteúdos para o treinamento fica cada dia mais fácil de ser realizado, à medida que vai sendo organizado pelos próprios gestores e pelo departamento de recursos humanos.

Realizar um treinamento bem-feito leva tempo e seu custo pode parecer alto para os empresários que antes não conheciam a necessidade dessa prática. O treinamento é um processo contínuo, que deve ser usado tanto para suprir uma necessidade, quanto para reciclar a equipe, devido às constantes mudanças que acontecem no mercado e que podem afetar as empresas.

Quais são os benefícios do treinamento e desenvolvimento de talento?

Mais produtividade da equipe

Algumas pesquisas apontam números espantosos sobre a falta de produtividade nas corporações. Uma delas mostra que apenas 39% do expediente é realmente produtivo. Quando os profissionais estão treinados, todavia, conseguem otimizar seu tempo de trabalho e entregar mais resultados. Colaboradores realmente competentes trabalham com diligência, entusiasmo e assertividade, evitando, assim, a improdutividade.

Menos erros operacionais

Pense sobre o número de erros que ocorreram no último ano por conta de funcionários pouco competentes. Sem dúvida, foram muitos. A falta de qualificação faz com que erros simples surjam no trabalho, mitigando os resultados e gerando prejuízos. Profissionais treinados sabem o que fazer, como fazer e quando fazer. Ou seja, são perspicazes para trabalhar adequadamente e errar o mínimo possível.

Mais satisfação dos clientes

Segundo pesquisas, o principal motivo para a evasão de clientes é o mau atendimento. Isto é, não são bem tratados pelos consultores de vendas ou demais profissionais da frente de trabalho. Colaboradores qualificados, por outro lado, são mais solícitos, ágeis e eficazes para solucionar as demandas existentes. Por isso, influenciam significativamente na satisfação e fidelidade dos clientes finais.

Quais são os impactos do T&D para o negócio?

São inúmeros os impactos do T&D para o negócio. Os colaboradores são capacitados e valorizados, afinal, a empresa está investindo na melhoria de seu pessoal. Há também a redução da rotatividade e o aumento do engajamento dos funcionários, pois ao perceber que a companhia se importa com eles, vão fazer de tudo para se manter na corporação e apresentar os melhores resultados possíveis.

O clima empresarial também melhora, visto que os funcionários não se sentirão ameaçados por seus colegas de trabalho. Pelo contrário, vão encarar seus colegas como aliados e começarão a colaborar uns com os outros, inclusive entre equipes e setores diferentes.

Por fim, podemos citar a vantagem competitiva que a empresa conquista ao ter profissionais de alta performance que vão alavancar os resultados e gerar ideias criativas. Esses talentos são capazes de fidelizar clientes ao prestar um bom atendimento, melhorar a qualidade dos produtos e serviços ao atuar com mais embasamento sobre suas tarefas, aumentar a produtividade ao reduzir dúvidas em relação aos procedimentos e evitar erros.

Dessa forma, a companhia passa a ser vista com mais confiança pelo público interno e externo, e torna-se capaz de tomar ações inovadoras de maneira ágil e no momento certo da demanda do mercado.

Qual é a importância de um bom software de RH?

Com o objetivo de identificar as competências e os comportamentos que precisam ser desenvolvidos e executar boas capacitações, o RH carece da ajuda da tecnologia. Assim, é viável definir os treinamentos certos e obter um maior retorno sobre o investimento.

Com uma plataforma de análise de perfil comportamental, por exemplo, é possível conhecer as principais características de cada talento, desenvolvendo-o de modo alinhado aos valores da empresa e objetivos de médio e longo prazos.

Fazer uso de um bom software de RH não só é importante, como também significa uma decisão inteligente por parte dos gestores, que otimizarão o tempo e conseguirão informações mais confiáveis e exatas sobre seus colaboradores. Por isso, considerar integrar esse serviço à equipe é uma forma de desenvolvimento estratégico.

Como vimos, investir no treinamento e desenvolvimento de talentos não é uma tarefa complexa e gera inúmeros benefícios para a empresa. É imprescindível utilizar uma boa plataforma para análise e monitoramento do perfil comportamental dos profissionais, assim será possível agir com objetividade. Quando o gestor investe em sua equipe, ele conquista um time de indivíduos dispostos e comprometidos com o trabalho.

Gostou do artigo? Aproveite para assinar nossa newsletter e receber em seu e-mail informações importantes sobre outros assuntos relacionados a recursos humanos e gestão de pessoas.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: