Com o mundo em constantes mudanças e transformações, precisamos inventar, nos reinventar e continuar em busca de atualizações e novas competências. No meio profissional, isso deve ocorrer de forma contínua e regular, com treinamentos frequentes e doses de estímulos para que os profissionais possam, de fato, trazer melhores resultados para as organizações. Surge, então, o famoso termo “Treinamento e Desenvolvimento” – ou T&D, tema do nosso artigo de hoje. Confira!

 

O que é Treinamento e Desenvolvimento (T&D)?

Treinamento e Desenvolvimento de pessoas é o processo de capacitação dos funcionários de uma empresa. Trata-se de um conjunto de procedimentos cujo objetivo é treinar e desenvolver os colaboradores em curto ou longo prazo.

Muito se fala em T&D, como se fossem uma única ação, mas você sabe distinguir as ações de treinamento das ações de desenvolvimento? Os dois termos têm como objetivo a aquisição de competências e o aprimoramento de habilidades, mas possuem focos diferentes.

O desenvolvimento é um processo mais amplo; envolve o atingimento de competências que favorecem o aumento da produtividade, a melhoria do desempenho no trabalho e o avanço do profissional enquanto indivíduo. É um movimento no sentido de aprimorar conhecimentos e competências que serão úteis aos profissionais, como habilidades de liderança e comunicação.

Já o treinamento pode ser entendido como experiências de aprendizagem focadas na posição atual do indivíduo. Normalmente, são processos de curto prazo e têm como objetivo o aprimoramento do profissional para uma atividade específica para resultados imediatos.

Apesar de estar relacionado ao conhecimento, principalmente o corporativo, também podemos entender o treinamento como uma forma de capacitar as pessoas no seu trabalho, desenvolvendo habilidades e comportamentos adequados para determinadas tarefas, por exemplo, vender ou emitir notas fiscais.

De uma maneira geral, o treinamento tem foco na atividade presente, objetivando capacitar o colaborador a agir com maestria no seu dia a dia, enquanto o desenvolvimento possui foco no futuro, garantindo o bem-estar com as tarefas diárias e o crescimento do profissional na organização. O treinamento foca em resultados de curto prazo e o desenvolvimento, de longo prazo.

 

Quais são os objetivos do Treinamento e Desenvolvimento?

Todo programa de treinamento e desenvolvimento deve ter seus objetivos claros. Listamos os principais a seguir:

Mais produtividade da equipe

Ao elaborar um programa de treinamento para profissionais com produtividade aquém da esperada, aumentam as chances de eles otimizarem seu tempo de trabalho e entregarem mais resultados, uma vez que pessoas capacitadas desempenham suas funções com menos esforço e atingem melhores resultados.

Essa é uma das vantagens do treinamento e desenvolvimento: ter reflexo positivo direto sobre a produtividade, atuando como um potencializador.

Menos erros operacionais

A falta de qualificação faz com que erros simples surjam no trabalho, muitas vezes por falta de conhecimento, mitigando os resultados e gerando prejuízos. Profissionais treinados sabem o que fazer, como fazer e quando fazer.

Maior satisfação dos clientes

Segundo pesquisas, o principal motivo para a evasão de clientes é o mau atendimento. Além disso, as empresas precisam se aperfeiçoar cada vez mais para atenderem seus clientes e não ficar para trás. Nesse contexto, gestores podem receber treinamentos específicos que os ajudem a acompanhar melhor os processos, delegar tarefas e transmitir ordens com clareza. Os colaboradores, por sua vez, podem ser treinados para potencializar suas competências e desenvolvê-las melhor.

Dessa forma, a empresa aumentará suas chances de oferecer uma melhor experiência aos seus clientes.

Capacitar os colaboradores para uso de novas ferramentas

Como no mundo tecnológico tudo muda muito rápido, e mais recursos estão sendo desenvolvidos para alavancar determinadas tarefas e automatizar processos, as empresas estão cada vez mais fazendo uso de novas ferramentas. Dessa forma, é necessário aplicar um programa de treinamento para capacitar os colaboradores a utilizarem corretamente essas novas tecnologias.

 

Principais benefícios do Treinamento e Desenvolvimento

Realizar programas de treinamento e desenvolvimento traz diversos benefícios para as organizações e para os colaboradores. Dentre eles:

Redução do turnover

Com programas de treinamento e desenvolvimento adequados, os colaboradores sentem-se mais confiantes, seguros e confortáveis quanto às suas funções, provocando um aumento na satisfação no ambiente de trabalho e em suas atividades. Por isso, o profissional tenderá a permanecer na empresa, pois vê claras chances de autodesenvolvimento, crescimento profissional e valorização de seu trabalho – diminuindo, consequentemente, a taxa de rotatividade de pessoas na empresa.

Integração de equipes

Os momentos de treinamento e desenvolvimento geram sinergia entre os colaboradores. Dessa forma, eles têm espaço para trocar experiências, ideias e opiniões. Com isso, promovem uma aprendizagem colaborativa, além de propostas de interação com outras equipes.

Redução de gaps de conhecimento

Aplicar programas de T&D reduz as lacunas que o colaborador possui em relação a conhecimentos essenciais para sua função.  Ao realizar um processo de recrutamento ou remanejamento, é necessário avaliar o Cubo de Competências dos profissionais, que é composto por seus conhecimentos, competências e habilidades.

Ao avaliar o Cubo de Competências, certamente serão encontrados gaps entre o profissional e o cargo. Além disso, ferramentas de avaliação, como a matriz 9Box da ETALENT, ajudam a identificar quem são os profissionais que precisam ser desenvolvidos e quais são seus principais gaps, para, assim, elaborar um plano de treinamento direcionado a esses profissionais.

Desenvolvimento de talentos

O RH tem sua atenção bastante voltada para os colaboradores, buscando desenvolver os profissionais que já atuam na organização, investindo em melhorias e preparando-os para assumirem outros cargos no futuro. Ao investir no desenvolvimento dos seus colaboradores, a empresa fortalece seu Capital Humano e os prepara para possíveis remanejamentos.

Melhoria de employer branding

Employer branding é a estratégia que visa à melhoria da reputação da empresa como lugar para trabalhar e sua proposta de valor para o funcionário. O foco dessa estratégia deve ser mostrar quais são os benefícios de se trabalhar na instituição em questão.

Ao implantar um T&D na empresa, os colaboradores se sentirão valorizados e motivados, e isso contribuirá diretamente para o fortalecimento da sua marca empregadora, uma vez que quando as pessoas percebem que a empresa se preocupa em desenvolver e treinar seus funcionários, elas veem isso como um valor.

Melhoria no clima organizacional

Todos esses benefícios mencionados impactam significativamente o clima organizacional, pois a oferta de programas de T&D traz satisfação e bem-estar aos colaboradores, fazendo com que se sintam valorizados.

Fortalecimento da cultura organizacional

A cultura organizacional de uma empresa é um de seus bens mais valiosos. Investir em treinamento e desenvolvimento para os profissionais é uma forma eficaz de semear a cultura organizacional para todo o Capital Humano. Além disso, uma boa cultura organizacional evita conflitos e aumenta o engajamento das equipes.

 

Como estruturar programas de T&D eficazes?

Etapa 1: Diagnóstico

Para estruturar um programa de T&D, a empresa precisa, antes de tudo, realizar uma avaliação diagnóstica por meio do levantamento dos processos internos, pesquisas e dados, analisando o que necessita ser melhorado, de que maneira isso precisa ser feito e identificando quais comportamentos devem ser trabalhados.

Neste momento, diversos fatores devem ser levados em consideração, como a cultura organizacional e processos atuais. Dessa forma, será possível direcionar melhor a forma de executar os treinamentos de acordo com o seu público-alvo.

As necessidades pontuais e de curto prazo devem ser direcionadas aos treinamentos, e as gerais e de longo prazo devem ser direcionadas para o desenvolvimento. É necessário, portanto, reconhecer as diferentes finalidades desses processos. Por exemplo: mudar atitudes inadequadas e frequentes, adequar o colaborador à cultura da empresa, adaptar os indivíduos para lidarem com mudanças, preparar os funcionários para serem remanejados, reduzir custos na busca dos objetivos da organização, capacitá-los para ferramentas específicas, entre outros.

Etapa 2: Planejamento

O segundo passo é realizar um planejamento. Em posse do diagnóstico feito na etapa anterior, os gestores e a área de Gestão de Pessoas terão material para realizar um planejamento adequado. Vale ressaltar que o desenvolvimento não deve ser encarado como uma aplicação aleatória de cursos e palestras ao colaborador; ele deve ser compreendido como um momento para alavancar o Cubo de Competências dos profissionais de maneira estratégica, após realizar uma avaliação detalhada sobre o estágio de desenvolvimento do indivíduo.

Aqui, deve-se pensar nas técnicas que serão usadas para que os colaboradores consigam absorver os objetivos deste aprendizado, metodologias de ensino, instrutores que ministrarão os cursos (caso seja necessário), número de profissionais participantes, tecnologias empregadas, quais conteúdos serão abordados, datas, horários e duração, dentre outros pontos importantes.

Etapa 3: Execução

Após o levantamento, deve-se colocar em prática a proposta de aprendizagem, seja por meio presencial, on-line ou híbrido. Delegue as responsabilidades, apresente e comunique o plano a quem irá executar, e divulgue o programa aos colaboradores envolvidos.

Etapa 4: Avaliação

Após aplicação do programa de T&D, avalie se o objetivo foi alcançado, se foi realizado com qualidade e se os colaboradores ficaram satisfeitos. Dessa forma, você conseguirá levantar os pontos de melhoria para as próximas ações.

No mundo atual, os profissionais devem ser lifelong learners, responsáveis pelo desenvolvimento pessoal e profissional, tornando-se protagonistas de suas próprias vidas. Neste sentido, as empresas precisam estar prontas para oferecer aos seus colaboradores as ferramentas necessárias para que eles alcancem esse novo patamar.

 

Tendências de Treinamento e Desenvolvimento

Com o uso das tecnologias cada vez mais evidentes, alguns formatos tendem a ser mais utilizados em processos de T&D. Um deles é o e-learning, que são capacitações realizadas através de ambientes virtuais de aprendizagem, em que o conteúdo é apresentado em diversos formatos, como textos, vídeos e áudios, e, muitas vezes, com interação de fóruns on-line.

Outro é o microlearning, que são pequenas pílulas de conteúdos específicos para ampliar objetivamente os conhecimentos dos colaboradores. Pode ser, por exemplo, uma sequência de pequenos vídeos com diferentes conteúdos sobre o mesmo tema.

Esses formatos são vantajosos principalmente por conta do seu custo mais baixo e da sua flexibilidade, que tem sido apontada como uma grande tendência para o trabalho no futuro.

Muitas empresas também têm utilizado a gamificação em seus processos de T&D. Nesse formato, utilizam jogos e desafios com o propósito de levar o aprendizado de forma dinâmica, divertida e que promova engajamento dos próprios colaboradores.

Essas são excelentes ferramentas para desenvolver as habilidades e competências dos colaboradores, além de fazer com que eles se sintam valorizados dentro da empresa. Vale ressaltar que esse tipo de investimento gera excelentes retornos para a organização.

Seja qual for o formato proposto, é imprescindível aplicar os programas de Treinamento e Desenvolvimento dos colaboradores de forma contínua e regular, com ações frequentes e estímulos e subsídios constantes para que os profissionais possam, de fato, trazer melhores resultados para as empresas e para os clientes.

Para isso, é fundamental levar em conta o perfil comportamental de cada indivíduo. Você pode utilizá-lo adequando o formato de entrega ao perfil do público ou utilizando a correlação com o perfil de cargo. Desenvolver treinamentos que não primam pelo perfil comportamental das pessoas, bem como pelos conhecimentos e habilidades exigidos pelas funções que vão exercer, possivelmente, não trará os resultados tão importantes que a organização precisa para continuar competindo no mundo dos negócios.

Lembre-se! Empresas que investem em ações de treinamento e desenvolvimento geram mais engajamento em seus colaboradores. E, como já vimos, profissionais mais engajados geram melhores resultados.

Quer estruturar programas de T&D eficazes?

Fale com um Consultor ETALENT