Guia Completo Metodologia DISC

De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) e divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo, o desemprego atingiu 13,1 milhões de pessoas até fevereiro de 2019. Atualmente, o outplacement e replacement têm ajudado muitos profissionais que se encontram nessa situação.

Mas, afinal, o que significam esses dois conceitos? Qual é a diferença entre eles? E quais benefícios trazem para a empresa e o profissional? Veremos as respostas, neste artigo!

O que é consultoria de recolocação profissional?

Como o próprio nome já diz, a consultoria de recolocação profissional visa ajudar um trabalhador a enfrentar a difícil fase de desligamento de um emprego.

Nesse momento, é normal ficar um pouco confuso e sem saber o que fazer – sobretudo, no atual cenário econômico brasileiro, em que a disputa por vagas está muito acirrada. Sendo assim, esse processo funciona como uma lanterna que ilumina um caminho escuro e direciona os passos de uma pessoa.

Dentro da metodologia de consultoria de recolocação profissional, há dois tipos de serviços: o outplacement e o replacement.

Qual é a diferença entre outplacement e replacement?

Os termos têm significados diferentes, mas estão relacionados. No outplacement, a organização contrata os serviços de uma empresa especialista na área para criar um projeto e dar suporte aos colaboradores que pretende demitir.

De acordo com a Association of Outplacement Consultancy Firms International (AOCFI), que regula a atividade globalmente, o outplacement pode ser definido como um processo que auxilia o funcionário demitido a ter uma visão organizada e disciplinada do mercado de trabalho.

Dessa forma, torna-se mais fácil buscar uma recolocação em pouco tempo e sem trazer impactos para a sua vida e a de seus familiares.

Essa prática surgiu nos anos 60, nos Estados Unidos, como uma ferramenta de RH com o intuito de oferecer suporte a executivos – especialmente dos setores aeroespacial e de eletroeletrônicos, que passavam por uma crise no período.

Já o replacement é um serviço voltado para pessoas que já estão sem um emprego. Por isso, os profissionais dessa área fazem uma consultoria voltada para reinserir esses trabalhadores no mercado de trabalho.

Como uma consultoria de outplacement atua, na prática?

O processo de outplacement tem, basicamente, três fases. Cada uma delas é composta por diversas atividades. Acompanhe!

Planejamento

O outplacement começa pelo planejamento, que envolve tanto a área de RH da empresa quanto a consultoria especializada. Nessa fase, são definidas as ações que serão realizadas para minimizar os efeitos da demissão nos colaboradores.

Desvinculação

A seguir, vem a etapa de desvinculação, na qual o colaborador é comunicado do desligamento e informado a respeito dos motivos que levaram a empresa a tomar essa decisão – sempre de forma clara e sem omitir informações.

Outplacement

A última etapa é o outplacement em si, processo que auxiliará o colaborador na busca de uma recolocação no mercado, com suporte por meio de palestras, treinamentos e apoio emocional.

Quais são os métodos utilizados e os benefícios para a empresa?

Algumas empresas têm dificuldade em lidar com o processo de demissão de um colaborador – mais ainda se for um profissional de nível executivo. Afinal, o trabalhador pode se sentir injustiçado com o seu desligamento se dedicou todo seu tempo e esforço ao longo de muitos anos – ou seja, quando literalmente “vestiu a camisa” da empresa.

A tragédia seria pior se essa má impressão fizesse o ex-funcionário falar mal da instituição para outros trabalhadores. Essa situação poderia afetar a employer brandingou marca empregadora, da empresa.

Por outro lado, quando a companhia contrata os serviços de outplacement, ela reverte essa situação. Apesar de demitido, o ex-colaborador sente-se cuidado e respeitado pela instituição porque o outplacement o ajudará a:

  • elaborar o seu currículo;
  • preparar-se para participar de processos de recrutamento e seleção;
  • fazer um planejamento de estratégias para a sua divulgação no mercado de trabalho;
  • realizar a análise e revisão de sua carreira profissional.

Após todo esse suporte, o trabalhador sai confiante e satisfeito com a instituição. Entretanto, a empresa também pode se beneficiar do replacement. Por exemplo, ela pode ter uma política interna que favoreça os profissionais de alto desempenho que estão buscando uma vaga de emprego.

Dessa forma, as instituições ou consultores autônomos que prestam esse tipo de serviço podem canalizar esses talentos do mundo corporativo para a empresa. Essa atitude beneficia a companhia, pois ela se torna mais atraente para os profissionais.

Além disso, o processo de recrutamento e seleção é facilitado, visto que, em vez de procurar por trabalhadores, eles é que vêm até a empresa. E o melhor de tudo: com as qualificações desejadas pela instituição.

Dessa forma, quem consegue implementar esses serviços em sua companhia constrói uma boa reputação no mundo empresarial.

O que considerar ao contratar uma consultoria de outplacement?

Infelizmente, como em todos os mercados, na área de outplacement também é preciso estar atento para não ser ludibriado por enganadores. Fique atento aos sinais que indicam uma boa e confiável consultoria.

Desconfie de ofertas de vagas

Há casos em que supostas consultorias surgem com ofertas de vagas de trabalho inexistentes a executivos demitidos quando, na verdade, o intuito é de vender uma solução de outplacement de forma dissimulada.

As boas consultorias oferecem o serviço para preparar o profissional para a busca de uma recolocação no mercado, mas sem oferecer vagas – muito menos vagas fantasiosas.

Não acredite em promessas de entrevistas

Da mesma forma, uma boa consultoria de outplacement não tem condições de prometer um determinado número de entrevistas e participações em processos de seleção.

Embora consultores envolvidos no mercado possam ter acesso a informações sobre oportunidades e repassá-las como dicas aos seus clientes, isso não pode ser uma regra e, muito menos, uma promessa para atrair interessados.

Pesquise a respeito da consultoria

Antes de fechar contrato com uma consultoria de outplacement, busque se informar a respeito dela: consulte antigos clientes e verifique qual é a reputação da empresa ou do consultor autônomo nas redes sociais.

Prepare-se para trabalhar com pessoas sérias e evite contratar serviços que não sejam idôneos.

Aceite apenas consultorias personalizadas

Cada indivíduo tem a sua carreira, a sua história, as suas experiências e os seus objetivos de vida. Por isso, uma consultoria de outplacement precisa ser individual e oferecer uma solução personalizada.

Assim, desconfie de serviços que trabalham com grandes grupos e soluções genéricas para problemas específicos.

Agora que você entendeu melhor os conceitos de outplacement e replacement, como aplicá-los na prática e o que considerar ao contratar uma consultoria, já pode ficar mais tranquilo na hora de tomar uma decisão a respeito na sua empresa.

O que achou de nosso artigo? Esperamos que tenha gostado! Aproveite para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos valiosos em seu e-mail.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário:

Ebook gratuito Como Diminuir o Turnover