Guia Completo Metodologia DISC

Aquele velho ditado “se forme, tire boas notas e arrume um emprego” está morto. Profissionais talentosos e com uma trajetória profissional impecável tiveram que enfrentar o desligamento ou desvalorização de sua área de atuação e se viram perdidos em seus planos de recolocação para o futuro.

Experientes e com grande bagagem de trabalho nas costas, esses profissionais entre seus 40 e 60 anos de idade de fato seriam muito valiosos por pelo menos mais 20 anos, até decidirem se aposentar. Mas, em alguns casos, acabam por não conseguirem recolocação no mercado.

Recolocação profissional: O que fazer?

Caso como esses aconteceu com a Doutora Lavinia Pithon Napoli, dentista, mestre em saúde, com 30 anos de atuação em ortodontia.

“O movimento estava abaixo da média, eu tinha uma família com quatro filhos para sustentar e também não sentia que aquele trabalho estava mais adequado para mim, sempre me faltou algo.” 

Foi quando decidiu jogar pro alto seu consultório e voltou a ser estudante:

“Foram seis anos muito difíceis, pois praticamente usei todo dinheiro que eu tinha acumulado até o momento para me capacitar. Foram finais de semana abdicados, presença em eventos com a família postergados, tudo por um único objetivo: aprender.”

Hoje ela realiza o sonho de muitos brasileiros. Realça sua beleza natural a partir de técnicas de harmonização facial e conta com quatro frentes: São Paulo, Salvador, Recife e Aracaju. 

E se comunica muito com clientes pelo próprio Instagram, onde compartilha sua vida profissional e um pouco da dinâmica dos seus procedimentos.

“Para mim é natural exercer esse trabalho, gosto do que faço, tenho 54 anos e me sinto com toda energia. Trabalho muitas vezes de domingo a domingo: dando cursos, palestras e atendimento presenciais e não me sinto cansada como antigamente.”

O poder do autoconhecimento

O que ela não sabia é que ela intuitivamente estava no caminho certo. Após realizar o seu Perfil Comportamental ETALENT pode ver os seus pontos fortes e maximizá-los.

“A ferramenta é muito poderosa, me descreveu por completo e pude melhorar os meus gaps. Me sinto mais preparada para expandir meu negócio, inclusive com o apoio da família.”

A dica que fica é: não queira ser melhor que o outro. Seja melhor que você mesmo!

A originalidade e o desenvolvimento contínuo são os primeiros passos para o sucesso.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: