Guia Completo Metodologia DISC

A formação de uma boa equipe é uma atividade-chave para o sucesso e a continuidade de qualquer empresa. Diante disso, é comum que profissionais de RH e gestores tenham dúvidas sobre recrutamento interno e externo, como qual deles é o melhor para o negócio.

Quando bem executadas, as duas modalidades podem trazer ganhos, resultando na seleção de profissionais talentosos e que tenham aderência à cultura organizacional.

Para identificar qual estilo de recrutamento se adapta melhor às características da empresa, é preciso levar alguns fatores em consideração, como: a confiabilidade, a inovação, o custo e a duração.

Está com dúvidas e quer se aprofundar no assunto? Então, confira este conteúdo especial que preparamos para você. Explicaremos o que é recrutamento interno e externo, como realizá-los e quando cada um deles é mais indicado. Continue a leitura e saiba mais.

Recrutamento interno e as suas principais características

Essa modalidade é caracterizada pelo oferecimento de novas oportunidades aos colaboradores que já trabalham na empresa, desde que eles tenham as competências demandadas e os comportamentos adequados.

Quando um gestor se vê diante de uma vaga, ele quer ocupá-la com o melhor profissional possível e, em alguns casos, essa pessoa já faz parte do quadro de funcionários da companhia, mas exerce outra função.

Isso pode acontecer, por exemplo, com um estagiário que está apto a ocupar um cargo de assistente ou com uma recepcionista que cursa marketing e tem experiência na atividade.

Sendo assim, é interessante ter a opção de avaliar os profissionais que já estão na empresa. Além de ser vantajoso para o gestor que já conhece o funcionário, serve também como um instrumento motivador para as equipes.

O processo de recrutamento interno funciona como uma promoção ou transferência de atividades, ampliando as possibilidades para os trabalhadores que desejam desenvolver novas habilidades.

Dentre os principais benefícios dessa prática, é possível destacar os seguintes fatores:

  • rapidez do processo, uma vez que os profissionais já estão dentro da empresa;
  • motivação, visto que os colaboradores percebem a oportunidade de crescer internamente;
  • maior facilidade na integração, uma vez que o profissional já conhece o ambiente e a cultura organizacional;
  • economia financeira, devido às menores despesas com seleção e anúncio das vagas.

No entanto, existem diferenças entre o recrutamento interno e externo. Como qualquer escolha, também pode haver algumas desvantagens dessa opção, tais como:

  • perda de talentos, pois nem sempre o funcionário se adapta bem à nova função;
  • falta de inovação na equipe;
  • conflitos interpessoais, já que, às vezes, uma promoção causa problemas entre os próprios colaboradores.

Para evitar essas situações, a dica é realizar um processo seletivo transparente e com as competências necessárias para o cargo. Dessa forma, todos terão a chance de participar e não ficará o sentimento de que alguém foi prejudicado.

Além disso, antes de promover determinado funcionário, avalie o perfil e o desempenho dele para verificar se haverá uma compatibilidade com a nova função e com a nova liderança.

Com base nisso, cabe às empresas e grupos avaliarem o que é essencial para o cargo em questão e no que essas vantagens e desvantagens implicam para o negócio. Julgando ser mais vantajoso contratar alguém que já faça parte da equipe, você colherá os benefícios dessa decisão, assim como precisará se adaptar aos desafios.

Recrutamento externo e as suas principais características

Aqui temos o jeito mais comum de recrutar pessoas, sobre o qual não se tem muitas dúvidas em relação ao processo em si. Afinal, a maioria dos trabalhadores já passou por um recrutamento externo, não é mesmo?

É possível defini-lo como a atividade de divulgar as vagas em aberto no mercado de trabalho, buscando profissionais de fora. Dessa forma, será possível suprir demandas internas com eficácia.

Entre os principais benefícios do recrutamento externo, estão:

  • novas ideias, já que colaboradores vindos de fora costumam pensar diferente;
  • abrangência, pois é possível ter acesso a um maior número de perfis profissionais;
  • eficácia, porque, muitas vezes, pessoas vindas de fora atendem com mais especificidade às competências e os comportamentos demandados.

Contudo, assim como no recrutamento interno, o externo também apresenta desvantagens. Veja:

  • o processo costuma ser mais demorado;
  • pode ser necessário um período maior para integração do recém-contratado;
  • pode causar insatisfação interna, já que alguns colaboradores se sentem injustiçados.

Esse último ponto deve ser considerado cuidadosamente. Essa sensação de desvalorização quando um candidato é contratado é uma realidade em algumas empresas e pode comprometer a motivação e o ambiente de trabalho.

Geralmente, isso ocorre em organizações que:

  • não valorizam o funcionário;
  • não têm um plano de carreira;
  • não treinam os seus colaboradores;
  • não escutam sua equipe.

Diante disso, é preciso utilizar a franqueza para avaliar essa desvantagem. Empresas que têm uma boa reputação com o público interno, investem em treinamento, colocam em prática as promoções e progressões no plano de carreira e ainda recompensam seus funcionários conseguem evitar esse problema em relação ao recrutamento externo.

Além do recrutamento interno e externo, há uma terceira alternativa: o recrutamento misto. Essa pode ser uma estratégia para evitar a desmotivação da equipe, pois o processo seletivo será aberto tanto para colaboradores quanto para profissionais do mercado de trabalho.

Como escolher a melhor opção de recrutamento

O recrutamento interno e externo são significativos e você deve avaliar qual deles é o mais adequado à realidade e aos objetivos da empresa no momento. É fundamental buscar as melhores práticas da área e entender que não se pode economizar em conhecimento quando o assunto é a contratação de novos talentos. Afinal, é difícil alcançar bons resultados sem um bom capital humano.

Para definir qual a melhor modalidade, a dica é analisar as características do cargo e da equipe, bem como o tempo para a seleção. Se a ocupação do cargo precisa ser imediata e você conta com bons profissionais no time, realizar um recrutamento interno pode ser uma boa saída.

Por outro lado, se não houver um colaborador que tenha o perfil apropriado para a vaga ou se o objetivo for agregar inovação ao negócio, o recrutamento externo se torna uma boa solução.

Entretanto, não deixe de realizar o processo de forma correta, analisando a experiência e o perfil dos candidatos – colocar um funcionário que não esteja apto para a função prejudicará bastante o desempenho do time.

Como realizar um bom recrutamento interno e externo

Independentemente da modalidade escolhida, há algumas medidas que ajudam a otimizar esse processo e encontrar os profissionais mais preparados para a tarefa. Veja, abaixo, algumas dicas:

Defina o perfil ideal para o cargo

O primeiro passo é entender as características do cargo. Pense em quais atividades serão realizadas, quais os conhecimentos, os comportamentos e as habilidades necessárias para a função, o perfil da equipe de trabalho e da liderança, entre outros elementos.

O profissional precisa ter um perfil mais analítico ou comunicativo? Deve ser resiliente? Organizado? Ter habilidade com vendas? Essas e outras questões são positivas para avaliar os candidatos e contratar a pessoa mais adequada para a posição.

A tecnologia é benéfica para otimizar essa tarefa. Há ferramentas que auxiliam na criação dos cargos, bem como nos aspectos comportamentais e competências desejáveis de acordo com as características da empresa.

Faça o anúncio da vaga de forma objetiva

Ao realizar o recrutamento interno ou externo, faça um anúncio transparente e objetivo. No primeiro caso, isso contribui para que os colaboradores não se sintam injustiçado. Além disso, a atitude ajudar a atrair candidatos mais qualificados e alinhados com a vaga.

Ao fazer o anúncio, indique as principais atividades do cargo, as habilidades e a formação desejável para função, se há a necessidade de conhecimentos ou cursos específicos, entre outras informações.

Escolha canais de divulgação adequados

Se você optar por um recrutamento interno, é recomendado que a vaga seja acessível para toda a equipe. O anúncio pode ser feito no jornal mural e na intranet, por exemplo.

Já no recrutamento externo, as opções são mais variadas. É possível divulgar pelo site ou redes sociais da companhia, utilizar um banco de vagas etc. Vale destacar que a divulgação de vagas em canais na internet deve ser tão criteriosa quanto a elaboração da vaga. Se você espera receber bons currículos, divulgue em meios que profissionais qualificados estejam presentes.

Faça uma boa seleção

Algumas estratégias são significativas para contratar – ou promover – o profissional mais compatível com a função. Além da avaliação do currículo, você pode fazer entrevistas e outros testes com os candidatos.

No caso do recrutamento interno, pode-se, também, contar com a ajuda do superior imediato do funcionário. Ele será responsável por dar um parecer mais claro sobre o profissional, informando sobre seu espírito de equipe, pontualidade, produtividade etc.

Avaliar o perfil comportamental é mais um ponto importante. Você pode fazer isso com perguntas situacionais durante as entrevistas para analisar como o candidato se sai diante de desafios, por exemplo, ou aplicando testes psicológicos e questionários comportamentais para identificar traços de liderança, persistência, flexibilidade, inovação etc.

Hoje em dia, a tecnologia auxilia bastante na seleção e no recrutamento, já que é possível contar com softwares para realizar o gerenciamento de talentos e aplicar filtros para encontrar os candidatos mais qualificados.

Essas são as principais características e dicas para realizar recrutamento interno e externo. Ao avaliar as vantagens e desvantagens de cada um deles, você poderá tomar uma decisão mais acertada e obter melhores resultados com a formação de times de alta performance.

Depois de ler este conteúdo, ficou mais fácil avaliar quando a sua empresa precisa aplicar o recrutamento interno e externo? Aproveite o momento, entre em contato conosco e conheça as soluções da ETALENT para gestão comportamental de pessoas.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: