A inteligência emocional (ou autoconhecimento emocional) é a capacidade intrínseca de cada indivíduo em administrar as próprias emoções e compreender as emoções do outro, agindo de maneira empática.

Não se trata apenas de sentir, mas também de transformar essa percepção em ações inteligentes. Assim, o indivíduo se torna capaz de dominar seus pensamentos bons e, principalmente, os ruins, evitando que se potencializem e atrapalhem sua vida pessoal e profissional.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira os principais tópicos que falaremos nesse artigo:

 

Os diferentes tipos de inteligência

O conceito de inteligências múltiplas diz que não existe apenas um tipo de inteligência relacionado à capacidade de resolver problemas cotidianos ou elencar critérios de decisão, mas, sim, vários. De acordo com o neuropsicólogo Howard Gardner, existem, pelo menos, 8 diferentes dimensões de inteligência. São elas:

  • Inteligência lógica – Capacidade de realizar operações numéricas e de fazer deduções.
  • Inteligência linguística – Capacidade de aprender idiomas e de usar a fala e a escrita corretamente para atingir objetivos.
  • Inteligência físico-cinestésica (também chamada inteligência corporal) – Potencial para usar o corpo como uma forma de expressão, com o fim de resolver problemas ou fabricar produtos.
  • Inteligência musical – Sensibilidade para perceber padrões sonoros e para compor, transformar e tocar músicas.
  • Inteligência espacial – Capacidade de reconhecer situações que envolvam percepções visuais e dimensionais.
  • Inteligência interpessoal – Capacidade de perceber expressões faciais, gestos e posturas e de entender as intenções e os desejos dos outros e, consequentemente, de se relacionar bem em sociedade.
  • Inteligência intrapessoal – Inclinação do indivíduo de olhar para dentro de si, refletindo sobre a própria vida, controlando suas emoções e mantendo sua autoestima em equilíbrio.
  • Inteligência naturalista – Indivíduos observadores, com sensibilidade para reconhecer e identificar espécies da natureza (meio-ambiente, animais e plantas).

 

Conceito de inteligência emocional

Usando as definições de Gardner, ter inteligência emocional é combinar as habilidades das inteligências intrapessoal e interpessoal.

Lançando mão de uma descrição resumida, a inteligência emocional traduz-se não apenas na capacidade de reconhecer e avaliar as próprias emoções – o autoconhecimento emocional – e as dos outros, mas também de controlá-las e direcioná-las. É uma das mais importantes soft skills, fundamental na vida profissional e nas relações sociais, e é frequentemente subvalorizada.

O desenvolvimento dessa habilidade pode proporcionar, por exemplo, assertividade na gestão de um grande líder e melhorar significativamente suas relações de trabalho, familiares ou de amizade, antecipando ou lidando melhor com conflitos.

 

Pilares da inteligência emocional

A inteligência emocional é sustentada por 5 pilares:

  • Autorresponsabilidade – Capacidade do indivíduo em assumir a responsabilidade por todas as coisas que acontecem em sua vida.
  • Percepção das emoções – Capacidade de reconhecer as emoções humanas, sobre você ou o outro, ler os comportamentos nas entrelinhas e agir de maneira empática.
  • Gerenciamento das emoções – Conscientização sobre as próprias reações diante das emoções.
  • Foco – Capacidade de manter as atenções voltadas aos aspectos positivos e às qualidades.
  • Ação – Forma como nos portamos e escolhemos agir diante de sentimentos negativos e a capacidade de transformá-los em positivos.

 

Relação entre o autoconhecimento e a inteligência emocional

Não há como falar sobre controle e reconhecimento das emoções sem abordarmos a questão do autoconhecimento. Quanto melhor eu me conheço, mais eu tenho condições de me gerenciar. Esse é o primeiro passo do desenvolvimento da inteligência emocional.

Por melhores que sejam meus resultados, minhas habilidades e competências, o relacionamento com as pessoas, o trabalho em equipe e a comunicação são cada vez mais importantes e podem ser o principal trunfo na gestão de carreira e na entrega de resultados de alta performance.

Sendo assim, entendemos que a inteligência emocional pode ser um dos fatores decisivos para que uma pessoa possa tirar proveito pleno de seu talento.

Agora que você já sabe o que é inteligência Emocional, que tal colocar em prática? Comece observando seus gatilhos frente a situações estressantes, como você explode ou fica retraído, e tente reverter esse quadro.

 

Gostou do nosso artigo? Quer ter acesso a outras informações valiosas?
Siga nosso perfil nas redes sociais! Estamos no LinkedIn, Instagram, Twitter, Facebook e YouTube.

Compartilhe com seus amigos:


Deixe seu comentário: