Possuir autoconhecimento em termos de comportamento é a faceta fundamental de líderes excepcionais. Ao entender nosso próprio comportamento, conseguimos avaliar experiências em um viés mais complexo, prever reações e ganhar um senso de controle ao perceber as repercussões das nossas atitudes.

Quando o foco é alavancar pessoas, o comportamento é o aspecto mais importante para obter alta performance em níveis pessoais, de equipes e de liderança.

Este artigo aborda os benefícios de entender os perfis comportamentais e elenca as principais características dos 36 talentos definidos pela ETALENT. Confira!

 

Conceito de comportamento

O comportamento é definido pelas particularidades da estrutura de cada pessoa, os estímulos psicológicos que interferem em como um indivíduo lida com cada situação e todas as características que o definem.

A noção de comportamento fica muito clara quando falamos em “habilidades naturais”; são os talentos que uma pessoa tem ou exerce sem precisar esforçar-se. Quando uma pessoa entende amplamente suas características naturais, ela encontra seu perfil de comportamento.

Ao desenvolver projetos de aprimoramento com mais de um milhão de brasileiros, a ETALENT viu a necessidade de agrupar conjuntos de características naturais e estudar a maneira como estas combinações se comportavam.

A lista de comportamentos é longa, mas, se pensarmos em quantas pessoas existem no mundo, ficamos surpresos com a possibilidade de traçar 36 resultados que as definem. Neste artigo, iremos visitar cada um dos 36 perfis comportamentais, resultado de um estudo aprofundado dos quatro fatores DISC.

 

Diferença entre atitude, personalidade e comportamento

Os três andam lado a lado e comumente aparecem juntos. Mas, afinal, qual é a diferença entre atitude, comportamento e personalidade? Para melhor responder a esta pergunta, vamos defini-los separadamente:

Atitude é a forma de agir e expressar opiniões em um dado momento. Uma atitude pode repetir-se várias vezes ou surgir como reação a circunstâncias específicas.

Muitas vezes, atitudes referem-se a uma postura ou sentimento frente a algo: uma expressão facial, uma opinião ou até mesmo indiferença. É uma expressão interna.

Por exemplo: uma pessoa insegura pode manter uma atitude “durona” por anos. Ela usa essa atitude como uma máscara para esconder ou amenizar seus pensamentos e intenções verdadeiras. O fator determinante, neste caso, é que uma pessoa pode mudar suas atitudes.

Comportamento é a essência observável de uma pessoa, é a maneira pré-programada na qual ela age. O comportamento é visto como uma característica permanente de cada um.

De certa forma, podemos dizer que nascemos com um comportamento, com um perfil. O comportamento é sempre dirigido ao exterior. É o conjunto de maneiras com as quais uma pessoa mostra quem ela é.

Como ilustração, pense, por exemplo, no ressentimento. Quando relacionado a outra pessoa, ressentimento pode gerar atitudes de repulsão, irritação e rancor. No âmbito do comportamento, porém, esta atitude pode ser externalizada de várias maneiras: um perfil impaciente pode preferir enfrentar ao outro; um perfil diplomático pode buscar diálogo e soluções; já um perfil que evita conflitos pode nunca expressar tal atitude. Desta forma, atitudes são circunstanciais e comumente obscurecem o comportamento real das pessoas.

Diferente do comportamento, a personalidade não é uma vertente inata, mas amadurece e soma experiências agregadas ao longo da vida. A personalidade deriva de histórias, criação e educação, e os valores formados a partir disso, enquanto o comportamento é como a “programação” interna de um sistema; neste caso, o sistema humano.

Julgar outras pessoas por suas atitudes é, na verdade, uma forma rasa de entender o outro. A consequência disso é que muitos líderes tentam combater atitudes, quando a essência das pessoas é esquecida, deixando de lado os motivadores por trás das atitudes. Com uma visão profunda do comportamento, traçam-se novas atitudes de excelente desempenho.

 

Faça uma gestão 360º do Capital Humano da sua Organização

Conheça o Sistema Etalent PRO

 

Os 36 perfis de comportamento ETALENT

Os 36 Talentos ETALENT são resultados de uma análise profunda e sistêmica de inúmeros perfis comportamentais DISC. Definimos perfis delineados dentro de cada um dos quatro quadrantes, denominados Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade.

Abaixo, apresentamos uma rica amostra da pesquisa comportamental ETALENT, realizada com mais de um milhão de participantes. A Pesquisa Talento Brasileiro amplia nosso entendimento sobre o comportamento das pessoas com que lidamos em nosso dia a dia.

A seguir, apresentamos uma breve descrição de cada um dos 36 Talentos ETALENT, com as suas características mais marcantes.

 

Talentos da Dominância

Empreendedor – Sente a constante necessidade de realização. Sempre disposto a começar um novo projeto, é incansável e cheio de energia. É assertivo e tem uma comunicação objetiva e direta. Poder, prestígio e autoridade são suas maiores motivações.

Direcionador – Tem iniciativa, espírito competitivo, entusiasmo e autoconfiança. É assertivo, sabe se comunicar com os outros e busca sempre a justiça e o cumprimento dos padrões estabelecidos. Procura tornar o ambiente previsível para evitar conflitos e manter a ordem.

Solucionador – Tem iniciativa própria e é firme, amistoso, persistente e metódico. É um exemplo de flexibilidade eficiente: adora resolver problemas e, diante de situações complexas, procura a melhor maneira de fazer as coisas. Sabe influenciar e persuadir as pessoas e se sai muito bem em negociações.

Inovador – É questionador, ativo e gosta de independência para agir. Não tolera surpresas ou erros. Por isso, para alcançar resultados, trabalha de maneira sistemática e precisa, seguindo a lógica e as normas vigentes.

Desbravador – Gosta de estar no comando e é altamente competitivo. Motiva-se com desafios, realizações e sucesso. E, para atingir seus objetivos, não se incomoda em confrontar ou pressionar os outros.

Estrategista – Conseguem perceber padrões onde outros só enxergam complexidade. É habilidoso para tomar decisões, tem iniciativa e é competitivo, autoconfiante, lógico e diplomático. Motiva-se por prestígio, reconhecimento e boa reputação.

Organizador – Gosta de enfrentar desafios e almeja ter autoridade para investigar e avaliar as situações antes de agir. Sabe aonde quer chegar e os caminhos que vai trilhar para atingir os seus objetivos de maneira lógica e organizada. É questionador e precisa de concentração para realizar seu trabalho.

Competidor – Tem garra, perseverança e se prepara para enfrentar grandes desafios. Seu alvo é a perfeição e, por isso, motiva-se por conquistas, reconhecimento e valorização de suas capacidades de organização e precisão.

Impulsionador – Gosta de agir de forma independente, mas é atento a pessoas e valoriza a individualidade de cada um. Alcança resultados de maneira constante e organizada, utilizando seus conhecimentos e experiências. Motiva-se pela oportunidade de dirigir, influenciar e aconselhar pessoas.

 

Talentos da Influência

Facilitador – É cuidadoso, meticuloso, confiante, persistente, diplomático e afetivo – apesar de ter certa reserva nas relações sociais. Gosta de organização e de estar certo; por isso, planeja para evitar erros futuros. Tem a habilidade para aconselhar e negociar. Motiva-se por segurança e aceitação.

Articulador – É confiante, sociável, entusiasmado e prestativos. Gosta de ajudar e tem facilidade para estabelecer conexões entre as pessoas. Motiva-se pelas relações sociais e diversidade humana. Na solução de problemas, preza pelo alto padrão de qualidade.

Aconselhador – Acredita na sua competência e confia nas suas ações e nas decisões que toma. Com entusiasmo e carisma, tem habilidade para convencer as pessoas das suas ideias, transmitindo segurança e confiança. Relacionamentos e conhecimentos gerais são seus motivadores.

Integrador – É cooperativo e prestativo, valoriza as relações sociais e tem a habilidade de influenciar pessoas, transmitir boa impressão e comunicar ideias de maneira lógica e sistemática. É justo e busca o que é certo para melhorar a vida dos outros. Motiva-se por aceitação e reconhecimento.

Influenciador – É amistoso, autoconfiante, proativo, persistente e organizado. É independente nas ações, mas busca manter a sintonia, a harmonia e a conciliação com o grupo. Motiva-se por desafios, realizações, status e uma certa dose de autoridade.

Comunicador – Gosta de conversar, fazer apresentações e falar em público. Preza por liberdade e tem uma abordagem estimulante, capaz de influenciar e persuadir diferentes tipos de pessoas com otimismo e entusiasmo. Motiva-se por popularidade, respeito e admiração.

Gerenciador – É arrojado, ativo, sociável, competitivo e persistente, além de ter assertividade para o fechamento de negócios. Movido por aspirações, objetivos e realizações, deseja ter prestígio e autoridade, além de ser admirado e reconhecido pelas suas conquistas.

Participativo – É flexível, dinâmico e autodisciplinado. Gosta de trabalhar com pessoas e zela por sua reputação. Por isso, tem uma ética implacável: é muito comprometido e exige o mesmo comprometimento dos outros. É sociável e motiva-se por admiração e reconhecimento.

Estimulador – É altruísta e inspirador, e gosta de ajudar as pessoas a se desenvolverem e alcançarem seus objetivos. Acredita que sucesso vai muito além de dinheiro e prestígio. Busca um ambiente de trabalho harmonioso e estruturado, que possibilite o contato frequente com pessoas.

 

Talentos da eStabilidade

Observador – É parceiro, questionador, atento e organizado. Tem a capacidade de buscar no passado a compreensão para o que ocorre no cenário atual e, assim, toma decisões melhores. Tem habilidade para aconselhar, administrar e negociar. Motiva-se por segurança e honestidade.

Conciliador – É paciente, amável, meticuloso, organizado, diplomático, autodisciplinado e sincero. Sente prazer em ajudar e busca cooperação e honestidade nas pessoas, evitando desavenças e competições. Com grande capacidade de adaptação, consegue lidar bem com diferentes circunstâncias. Motiva-se pelo status quo e por segurança.

Recuperador – É organizado, perspicaz, tenaz, reservado, questionador e autoconfiante. Busca entender como as coisas funcionam e gosta de corrigir problemas: analisa os sintomas, encontra as falhas e estuda formas para consertá-las. Preza por um ambiente de trabalho estruturado, com estabilidade.

Diplomata – Simpático e agradável, gosta de cultivar novos relacionamentos. Tem facilidade para estabelecer conversas e decorar nomes, o que promove conexão, proximidade e entendimento nas relações. Mas, para que isso aconteça, precisa trabalhar em um ambiente amigável e harmonioso, sem que precise tomar decisões impopulares.

Moderador – É gentil, descontraído, amistoso, entusiasmado e generoso nos sorrisos e nos elogios. Tem a habilidade de olhar para si, assim como para perceber os outros e o que acontece à sua volta. Como busca sempre o lado positivo de uma situação, tem a habilidade para coordenar uma equipe mantendo a motivação e a alegria.

Acolhedor – É organizado e tem facilidade para se relacionar e gosta de resolver problemas. Assim, mostra-se como um construtor de pontes para as pessoas, por conta da sua ponderação, aceitação e atenção aos outros. Preza por um ambiente de trabalho estruturado e motiva-se por segurança, afetos e recompensa por sua lealdade.

Prevenido – Desconfiado por natureza, é extremamente cauteloso, calado, pouco sociável e capaz de controlar as próprias emoções. Observa o que se passa à sua volta, é reflexivo e está sempre à procura de novas oportunidades. Prefere um ambiente estruturado e não se apressa para tomar decisões antes de ter total segurança.

Estruturador – É exigente e tem a habilidade nata para organizar as coisas a serviço da produtividade e da qualidade. Se prepara para que tudo funcione com agilidade e eficiência. Motiva-se por trabalhar de maneira meticulosa, lógica e sistemática, e mostrar um desempenho consistente em um ambiente de trabalho estruturado e previsível.

Verificador – É lógico e rigoroso, ao mesmo tempo em que é enfático e apaixonado. Gosta de analisar detalhadamente cada etapa de um projeto, avaliando tudo o que foi feito, sejam erros ou acertos. Busca a perfeição em tudo que faz e preza por autoridade e autonomia. Motiva-se pelo reconhecimento do seu esforço e das suas realizações.

 

Talentos da Conformidade

Orientador – Tem a habilidade de aprofundar o conhecimento, sistematizá-lo e passá-lo adiante, facilitando o aprendizado. Sabe a medida certa entre envolvimento e distanciamento: se comunica bem, entende as pessoas e age de maneira amável e diplomática, mantendo o respeito com certa reserva. Motiva-se por compartilhar conhecimentos, ser útil e ter reconhecimento pelo seu esforço.

Especialista – De natureza questionadora, tem alta capacidade analítica com concentração em detalhes. É perfeccionista, persistente, focado, cauteloso, organizado e metódico. Valoriza fórmulas, fatos, lógica e sistemas. Gosta de trabalhar sozinho em um ambiente estruturado, e motiva-se pela ampliação de seus conhecimentos e pelo reconhecimento de seu trabalho.

Criterioso – É guiado pelo bom senso e preza por ponderação e justiça. Conduz seus relacionamentos e as situações a partir de um código ético. Sabe equilibrar o uso da razão e da emoção muito bem. Motiva-se por aplicar normas, regras e procedimentos, e exercer sua capacidade de julgamento.

Inventivo – Perfeccionista, lógico, metódico, persistente e sistemático, gosta de solucionar desafios complexos. Busca continuamente o conhecimento, porque anseia por resolver questionamentos, sejam quais forem. Tem facilidade para se concentrar e mobilizar pessoas. Motiva-se por adquirir novos conhecimentos, criar e inovar.

Ordenado – Gosta de enfrentar desafios que envolvam raciocínios sistemáticos e organizados. Afeito a normas, procedimentos e métodos, gosta de enumerar, contar, estruturar, esquematizar e estabelecer sequências. A partir dos números, tabelas e gráficos, é capaz de compreender a situação como um todo, além de fazer projeções futuras a partir dessas informações.

Regulador – Acredita que tudo segue uma ordem preestabelecida. Como busca atingir alta qualidade nas suas entregas e reduzir a margem de erros ao mínimo possível, para ele, a perfeição segue uma lógica de funcionamento. Motiva-se por segurança, tradição e regras. Preza por um ambiente de trabalho estruturado.

Analisador – É um pensador por natureza: adora ficar sozinho, arquitetando planos. Valoriza saber, conhecer e mergulhar nas profundezas do desconhecido. Intuitivo, é capaz de fazer conexões entre coisas e situações e criar coisas novas do nada. Motiva-se por trabalhar sozinho, aprofundar o conhecimento e ter espaço e tempo para pensar.

Idealizador – É fascinado por ideias e adora descobrir uma explicação lógica sobre algo aparentemente complexo. Busca constantemente conexões entre as coisas e as situações. Valoriza fórmulas e fatos. De natureza assertiva e reservada, quer ver o resultado prático das coisas.

Visionário – Tem a habilidade de enxergar adiante e ver perspectivas positivas e estimulantes no futuro. Por sua natureza idealista, frequentemente é solicitado a dar orientação sobre as possíveis soluções para um problema. Motiva-se por reconhecimento e pelo acesso a conhecimentos. Valoriza um ambiente de trabalho estruturado.

 

Quer saber tudo sobre perfis comportamentais no Brasil?

Leia a Pesquisa Talento Brasileiro na íntegra

 

Como obter bons resultados através do comportamento

Ao explorar melhor os perfis comportamentais, nos damos conta do quão relevante é aprofundar este conhecimento para tudo que se faça.

No que se refere ao comportamento no mundo corporativo, os resultados de maior sucesso são os casos em que o comportamento e as demandas de uma posição se encaixem.

Vemos, então, que não existem comportamentos melhores ou piores, mas, sim, encaixes melhores ou piores. Quando observado desta maneira, vemos apenas o que um cargo requer e se suas diretrizes são compatíveis ou incompatíveis o que um colaborador tem a oferecer.

Se você está pensando em promover um colaborador, o comportamento pode indicar como ele agirá no novo cargo. Conhecer os comportamentos de seus colaboradores auxilia na montagem de equipes eficazes para gerenciar projetos.

Todas as empresas estão lidando com mudanças digitais. Quais colaboradores responderão bem às mudanças? Quais devem ser direcionados para treinamentos especializados? E, ainda, quais colaboradores precisam de treinamento corretivo?

O comportamento mostra até mesmo a quem devem ser atribuídas quais tarefas, usando os pontos fortes de cada profissional de uma equipe.

Uma forma eficiente de desenvolver adequações a partir do comportamento é a calibragem de fatores DISC. A Metodologia DISC ETALENT desenvolveu o que chamamos de Dodecaedro das Competências Comportamentais (ou Dodecaedro de Subfatores). Dentro do Dodecaedro, é possível medir subfatores promissores que podem ser desenvolvidos ou não em um colaborador.

Os subfatores do Dodecaedro incluem determinação, perceptividade, consideração e autoconfiança, dentre outros. As informações geradas são muito específicas e precisas, apresentando uma visão global de como o comportamento de cada colaborador pode ser desenvolvido de modo a produzir desempenhos excelentes.

Concluindo: cada um dos 36 perfis listados acima deve ser aprofundado nos subfatores do Dodecaedro para uma completa análise e mapeamento de cargos e funções. A partir deles, planos em todos os níveis corporativos começam a ser traçados, proporcionando uma reestruturação global das empresas através do Capital Humano.

 

Quer saber mais sobre talentos e Gestão Comportamental nas organizações?

Fale com um Consultor DISC